Por que um baú?

Bem, quem acompanha minha tentativa de escrever algo que seja bom ao leitor,vai poder voltar aqui, abrir o baú e ler, pensare espero eu que comente nos textos afinal, esse baú é para guardar pensamentos.
Deixe aqui o seu também.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

este tolo ainda senta e chora...

Eu sou um tolo, assumo, tolo por que mantenho acesso e mim um desejo que deveria ter sido apagado, por que ainda queima em mim uma vontade que não deveria queimar, por que mesmo ouvindo amigos dizendo que deveria esquecer eu mantenho essa chama.

Sou tolo por que um sonho me tira do eixo, um pesadelo me abala, sou tolo por que acordo tremendo e mais preocupado com ela do que comigo...

Sou tolo por tantas vezes que nem mesmo sei ao certo o motivo de tanta tolice.. mas sigo sendo tolo...

E pior, as vezes me acho menos que tudo, talvez por ser tolo me acredite que seja mais, mas na verdade as coisas me mostram o contrario sou menos.
Muito menos.
Quase nada.


Alguma vezes
(Weverson Garcia )

Algumas vezes a gente perde o chão,
Algumas vezes a gente se sente no céu
Algumas vezes é preciso entender o não
Algumas vezes a gente é réu.

Algumas vezes a gente sorri
Algumas vezes nem quer sentir
Algumas vezes prefere sumir
Outras tantas vezes, só ouvir

Algumas vezes a gente quer bem
Algumas vezes a gente espera
Algumas vezes ela espera também
Algumas vezes entramos em guerra

As vezes, a gente supera
As vezes a gente se ilude
As vezes pensamos na era
Daninha que do cimento eclode

As vezes, nem sorrir se pode
As vezes quem a gente ama , num pode
As vezes, no inicio da manha a gente explode

As vezes, somente as vezes, a gente se cala
E não por não saber o que falar
E sim por que falar tudo as vezes é não calar.

As vezes eu me sinto tonto,
As vezes eu me sinto esperto
Mas a certeza do meu peito é teu espanto

a certeza muda em no segundo
em que a boca aberta solta brado
”querida, amor, eu te amo tanto”
Mesmo sabendo que deviria ficar calado...

Um comentário:

Phil disse...

Sei bem o que é esse sentimento. Pois já o encarei por algumas vezes. E com certeza é algo que sempre devassa com a gente. Muitas vezes da vontade de sumir de não existir mais, mas quando o tempo passa e a gente se recupera percebe que serviu pra nos preparar pra algo melhor.
Esse também foi um ótimo poema. Dá até pra pensar em fazer dele letra de música.