Por que um baú?

Bem, quem acompanha minha tentativa de escrever algo que seja bom ao leitor,vai poder voltar aqui, abrir o baú e ler, pensare espero eu que comente nos textos afinal, esse baú é para guardar pensamentos.
Deixe aqui o seu também.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Telefonemas ao meio da noite.

Era tarde da noite, e ele não conseguia largar do telefone, a conversa nem estava das melhores, o assunto era tenso, e ela suspirava de pesar do outro lado, as dores dela o preocupavam e ele não conseguia deter seus sentimentos por ela mesmo sabendo que eram errados e contraditórios em tudo que ele acreditava, mas não conseguia manter quieto o peito dele calado, e nem distante do som,mesmo que sofrido de sua voz.
Ele buscava no fundo de sua própria dor uma forma de animar a ele, mas o que podia dizer? Nada vinha a sua cabeça a não ser dizer e repetir que ele sentia a sua falta, e que o homem que não notasse o valor dela seria de fato um cego... mas isso não bastaria, e ele se mantinha apenas ali dizendo... ok.. pode falar, ficar ali para ele era talvez a única solução, deixando que ela percebesse que ele estava ali não por que ela o tinha ligado, mas que para ele era mais importante vela, ou saber que ela esta melhor do que algumas horas a mais de sono.
Ela por sua vez, pensava no motivo de sua dor, e notava que ele, o amigo que ela confiava estava sempre presente, e era ele que estava sempre tentando fazer ela sorrir, então ela fala
-Me conta uma história? Me conta algo pra me fazer bem?
Ele suspira fundo ...
-Poxa não sei.. não sei o que contar – Disse meio sem jeito
-Poxa tu é criativo, vai me conta algo pra eu dormir sem pensar em coisas ruins...
- Bem... – Começou ele então a contar a história de um jovem que era perdidamente apaixonado por uma mulher que por sua vez era apaixonada por uma outra pessoa, e essa pessoa não via na jovem menina uma mulher forte e segura, até por que com ele, o seu amado, ela se sentia insegura , contou que o primeiro jovem, o que amava a donzela punha em sua janela toda noite uma flor, e um bilhete, no bilhete não escrevia nada alem de umas poucas frases dizendo “fique bem, e sorria sempre” e na manha seguinte mais uma flor dizendo “ hoje é o dia de sorrir... sorria”
contou que a donzela acreditando ser de seu amado as flores e bilhetes se encantava mais e mais, porem durante o dia ele era frio e distante, o ser amado, não tinha por ela o mesmo apreço porem ao perceber o afeto que transbordava dos olhos dela, aproveitava-se disso. O jovem apaixonado ficava desapontado com o descuido de sua amada que não via a ele, ali. E então deixou de dizer e escrever o que escrevia.
Ela notou a ausência de suas rosas e bilhetes percorreu os arredores da casa e viu um jovem florista, e o perguntou se alguém vinha todo dia comprar flores com ele, o florista sorriu e disse sim um de meus melhores fregueses, A donzela perguntou quem era, e o florista apenas apontou ao jovem que sentado a fronte da casa dela todos os dias, a via sair e voltar de casa e dizia Bom diz senhorita, e boa noite senhorita...
ela foi até ele e perguntou se era ele que escrevia as frases e ele disse
-Sim todos os dias, um pedido de que sorria, e todas as noites um desejo de que nunca deixe de sorrir.
- E por que?
-Por que quando a senhora sorri, minha vida parece mais segura, mais fácil e mais aceitável, mas não sou egoísta, também peço que sorria por que assim tenho eu certeza de que seu dia vai ser melhor, mai seguro e aceitável.
- e por que parou de me por as rosas?
-Por que passei a te amar...
-e por isso deixa de me fazer sorrir?
- Por que minhas fores e frases estavam levando a senhora aos braços de outro.
-Mas eu não estava sorrindo?
- Sim, os mais belos sorrisos que já vi... mas não era pra mim... e nem por mim....e eu me invejava
-Mas eu amava a suas flores...
-Mas não me notava a seu lado todos os dias...
-Eu amo a outro...
-E eu amo as rosas....
Assim depois de contar a historia ouviu de sua amiga uma frase
-Você me faz pensar em coisas que não devia, mas me faz bem saber que tenho alguém que me deixa flores na janela toda noite.. Obrigada, boa noite.

Boa noite disse ele, e pode dormir tranqüilo pois sabia que ela reconheceu os recados e flores...
Mas sabia que o peito dela era de outro... e a ele bastava saber que ele poderia ver seu sorriso todo dia... e ser reconhecido por ela como um pequeno que fosse motivo para sorrir.

2 comentários:

Phil disse...

João que amava Maria, que amava José, que amava Joaquina, que amava Pedro.... e assim todos dançando a dança da solidão.
Mas em algum momento tanto o rapaz das flores como o do telefone haverão de encontrar alguém que lhes corresponda a atenção e o carinho e romper com o ciclo de solidão.
Em alguns momentos é difícil acreditar nisso sei de experiência própria, mas de experiência também vejo que isso passa.

Brubs disse...

É Phil, é quase isso, porem a verdade é que será que o rapaz das flores e o rapas do telefone estão errados? o amor e um verdadeiro deve ser facil? a compelxidade de se perceber um amor de verdade esta também na complexidade de se mostrar de forma não forçada ou bruta algo suave como o amor?
Acredite, não existe pessoa perfeita para ninguem, joão pode amar a maria que ama josé que não ama a niguem alem dele mesmo.
Mas o complicado da vida é saber que se alguem não te da atenção as vezes não é por que ele não te ame, e sim por que no momento ele ainda não te viu...