Por que um baú?

Bem, quem acompanha minha tentativa de escrever algo que seja bom ao leitor,vai poder voltar aqui, abrir o baú e ler, pensare espero eu que comente nos textos afinal, esse baú é para guardar pensamentos.
Deixe aqui o seu também.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

tic tac

As horas passavam judiando do pequeno menino, e ele só pensava em poder abraçar seu avo, mas tudo tudo tem uma hora certa, um momento certo, mas a vontade ja tornava insuportavel a vida do pequeno menino, as paredes brancas o relogio em seu tic tac, a poltrona desconfortavel pessoas estranhas indo e vindo, sempre com caras preocupadas, seu pai não estava ali, e sua mãe afundava a o rosto nas mãos... e as horas não passavam nunca...
Ele não entendia o motiva, mas sabia que sua mãe não estava bem, talvez fosse a espera para ver o avô de novo, mas o vô disse que entraria na sala e depois de algumas hora ia voltar pro quarto, não ia demorar, e prometeu levar ele para o parque do fim da rua de novo e seu avô nunca deixou de cumprir o que prometia
A mãe olhava o relogio na parede e confiria no seu relogio de pulso, o garotinho para a frente da mãe, segurando o queixo dela, olha nos olhos e diz
Ja ja ele ta ai mãe, vovô prometeu pra mim , me levar no parquinho... – A mãe sorri, mas não esconde que esta com medo e tremendo diz ao filho que vovô pode não voltar, por que foi tentar tirar uma coisa ruim dele...

Nesse momento o garoto olha pra mãe, e para o corredor a seu lado, e o corredor fica ainda mais longo... ele ja sabia o que era morrer, ja tinha visto peixes morrem fora da agua, e agora imaginava seu avô da mesma forma. E então olhou pra mãe e agora tentando confortar sem saber como disse apenas um
-Mas ele prometeu....
Agora as horas eram ainda mais longas, e o pequeno garoto via os medicos passarem, indo e vindo e a cada bater de porta... se levantava...e olhava, vez por vez
Até que sem aviso, sem barulho sem bater de porta , um homem parou no corredor e acenou para a mãe, ela levantou-se e pediu para que ele ficasse ali, quietinho... ele ficou, mas seus olhos ja se enchiam de lagrimas e ele nem sabia o por que... sua mãe deu 3 passos lentos e por fim ajoelhou-se no chão, o medico a ajudou a levantar... ele então notou que os dois, ele e ela agora choravam...
Ela por que perde-rá um pai, ele por que acreditou em uma promessa, mas seu avô não cumpriu uma promessa.... a ultima...

Um comentário:

Devoradora e Cuspidora de Palavras disse...

Algumas promessas nunca podem ser cumpridas,mesmo ainda em vida