Por que um baú?

Bem, quem acompanha minha tentativa de escrever algo que seja bom ao leitor,vai poder voltar aqui, abrir o baú e ler, pensare espero eu que comente nos textos afinal, esse baú é para guardar pensamentos.
Deixe aqui o seu também.

sábado, 27 de março de 2010

Desacreditando.

Diga, Somos humanos? Diga por favor, de forma clara somos realmente seres racionais?
Nos dias de hoje eu tenho duvidas, de verdade, me falta uma certeza de que somos realmente seres dignos de serem chamados racionais e que podem viver bem em sociedades. E o motivo é a meus olhos os mais tensos possíveis, os mais pesados os mais hediondos. Pai soltando filhas por janelas, mulheres esganando crianças, e voltando alguns anos, crianças postas em sacos de lixo e soltas em rios... onde mora a humanidade em uma alma assim?
Quando era criança e me machucava ou me assustava só encontrava abrigo e proteção nas braços de meu pai e minha mãe, eram nas mãos cuidadosas deles que encontrava conforto e hoje? Seria assim com os Pais Nardoni? Não... nunca.
Seria A Madrasta a personificação dos contos infantis? Seria que toda madrasta é má? Não, não posso julgar todas por um exemplar torto de caráter e mentalmente desequilibrada, a falsidade de um caráter posto em rede nacional em um programa de TV de domingo, com tantos erros de ensaios de discurso emocionais que era visivelmente ali a culpa dos dois.
Eu realmente perdi a esperança no ser humano, agredir e privar de uma vida um criança? Bem, tantas outras são privadas de uma vida não por pais, ou madrasta, mas por ocultação por assim dizer de ações de nossa parte, crianças violentadas, direitos mais violentados ainda... e tanta gente, se é que se pode se dar esse nome a pessoas que passam cegas a tantas “isabelas “ pelas esquinas. Sufocadas pelo descaso agredidas pelo preconceito e lançadas ao mundo por todos nós ditos seres humanos.
Confesso que deixei umas tantas lagrimas rolarem de meu rosto grosseiro e rude, confesso que chorei sim não por euforia em uma condenação, em um veredicto, em uma sentença, mas por perceber que eu, você e todos os ditos seres humanos somos tão culpados por um caso “Isabela” como os próprios envolvidos.
São 31 anos, bem aplicado, em uma pena a um pai, não... não era um pai. Acho que pai de verdade não soltaria uma filha por uma janela, na verdade pai nem solta um filho ao mundo, sofre ao ver ele se afastar mais que os olhos possam ver, essa pena, talvez seja o que a justiça possa dar a ele. Mas a nossa? A que quando colocarmos a cabeça no travesseiro a noite e tentarmos dormir... será que vamos nos sentir “ Seguros” de crimes assim? E o Ives Ota? Quanto crimes mais a essas pequenas mostras de seres humanos vamos presenciar?
Que exemplos damos a eles vendo tantos e tantos crimes assim? É tenho medo de ser humano tendo visto essas mostras hediondas e horrendas de seres humanos.
Um Notebook pode custar a vida de uma adolescente, um tênis, ou um to de pele ou orientação sexual podem fazer com que grupos loucos obriguem a jovens a saltarem de um trem em movimento... genocídios e atentados por ideologia religiosa ou por um amor louco a uma bandeira, ondas e ondas de seres ditos “humanos” se jogam em outro país outra sociedade... e é isso ser humano?
Se for... prefiro ser um cão, que é mais socialmente estabelecido, e até fiel, e se isso for ser um ser racional eu prefiro ser planta... e ficar ali, parado apenas produzindo o que vou consumir..
A cada segundo eu penso... será que vale mesmo a pena ser um ser vivo? Racional? Emocional? Humano?
É como diz a frase... errar é humano...
Parabéns a justiça, que apenas aceitou o que já era visto a olhos nus. Mas e a gente? Vamos continuar cegos as “Isabelas” das esquinas e da nossa cidade?

Nenhum comentário: