Por que um baú?

Bem, quem acompanha minha tentativa de escrever algo que seja bom ao leitor,vai poder voltar aqui, abrir o baú e ler, pensare espero eu que comente nos textos afinal, esse baú é para guardar pensamentos.
Deixe aqui o seu também.

segunda-feira, 29 de março de 2010

poeta? que nada sou verdadeiro

Poesia algumas pessoas tendem a complicar poesia. Tendem a gastar horas em busca de uma rima e uma métrica justa e certa, e de certo academicamente isso é perfeito, e digno de respeito mas cair em clichês é o fim de um poeta ou alguém dedicado ao romance.
Algumas vezes vemos poemas com métrica esmerada e estudada a cada silaba, o que de fato é um trabalho longo, mas ao perceber os clichês utilizados pelo poeta, perde o poder, perde a força.
Quantos poetas já comparavam o sorriso a estrelas ou lua? Quantos já derramaram mares de lagrimas? Quantos já se puseram eternamente em clausura? Tantos que as rimas se tornam previsíveis. E os temas inda mais monótonos.
Vejo, vez por outra um esforço profundo de um aventureiro ao romance em ser galanteador mas por fim torna-se previsível e fadado a mesmice.
Então, sem ter a pretensão de ser um mestre ou o portador da verdade, eu deixo aqui umas dicas, umas formas de dizer o que quer dizer com a poesia da verdade. Sem buscar palavras que sejam belas separadamente, mas que as simples juntas formem a verdade que cabe ser dita.
Comparações devem ser feitas de modo pessoal, nunca diga, que o sorriso dela é tão belo quando a lua e as estrelas. Ela pode não achar belo o que você acha. Comente, e diga o que ele causa em você
Neruda tem um poema sobre o riso “ Teu Riso “ que é a máxima da simplicidade. Nos versos ele diz que pode ser privado do pão, da água mas nunca do riso dela. Posto assim o riso toma a importância maior, e sem comparação a nada.
Ao falar de seus sentimentos não quantifique, não diga sinto por você, ... mais do que grãos de areia do deserto ou gotas de um mar. Ou estrelas no céu, sentimentos são sentidos e não podem ser quantificados, diga apenas como se sente, ao falar de amor Camões disse que “ é o fogo que queima, a ferida que doi é não se sente, é estar contente em descontente. É se por como escravo por vontade” e novamente sem comparar, apenas dizendo o que sente foi poético sem ser previsível.
Se quiser falar do que sente ao vela, não busque objetos ou similares, os parnasinistas certa vez comparam os dedos de uma mulher a castiçais, delgados e longos.. seria isso um elogio? Será que a dama em cena gostou de ser comparada a isso? E será que ele gostava dos dedos dela? Ok se quer falar diga algo leve... sem comparar.
E por ultimo seja você, de que vale decorar padrões e formas de dizer algo que tudo que sair de sua boca ou da ponta de seus dedos for de outros? Ou comum? Até o comum é mais perdoável do que utilizar de métricas rimas e frases alheias a tua verdade. Tente de verdade despir-se da vergonha de dizer o que sente de verdade. Se sente falta diga se sente raiva grite, se for amor... ame... o mundo é feito em sua maior parte de sentimentos a serem sentidos. O vento o calor, a raiva, o ardor de uma mágoa, a dor aguda de uma traição, o corte fundo de uma separação ou privação, e transformar em poesia pessoal o dia a dia é o que te faz de fato um poeta. Dizer ao mundo como vê o mundo é o que te faz artista, por que o mundo já esta cansado de se ver com seus próprios olhos.
A verdade é negada
(Weverson Garcia )
A quem cabe dizer uma verdade? A mim? Loucura
Não cabe a ninguém a verdade, incabível de ser vista
a verdade não tem tamanho e cega a quem procura
Assim como mulher do mundo, a verdade não se conquista
Toda verdade, em verdade, é uma mentira bem contada
vale ver isso por completo em uma noite maldita
aos olhos enciumados de uma bem amada
Que mesmo dizendo a verdade, fica sempre uma mentira dita.
Aos ouvidos enamorados, seja a verdade como espinho a pé descalço
espeta, diz que existe, e como verdade até magoa com todo ardil
mas ouvidos enamorados, as sombras da verdade vão a encalços
e ali na escuridão da não existência, criam uma verdade débil
A verdade negada, de sua verdade ser contada
vestida de mentira em carnaval de alma
que de dor mais parece alma torturada
não se senta, nem se tranqüiliza ou acalma
A verdade negada, é como uma mentira bem contada
pode até calar o peito que se veste de inquisidor na cruzada
de desmascarar uma verdade de mentira mascarada
e no fim é só uma verdade, negada e mais nada
Uma verdade escondida, pelo peito torturado
de um peito torturador, em prantos e dores afogado
é só uma verdade de um peito enamorado
que não acredita na verdade dita pelo peito torturado.

2 comentários:

Si disse...

Esse é o poeta Brubs... Sem clichês, mas com verdades. adoro =)

C. L disse...

Sempre leio seu blog e gosto!!!
não sei elogiar de forma técnica, só sei que gosto...