Por que um baú?

Bem, quem acompanha minha tentativa de escrever algo que seja bom ao leitor,vai poder voltar aqui, abrir o baú e ler, pensare espero eu que comente nos textos afinal, esse baú é para guardar pensamentos.
Deixe aqui o seu também.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

AI SE SESSE...

Decisão, Por que algumas vezes é tão complicado tomar uma decisão, fazer uma escolha? O que nos impede de agir, de buscar de seguir um caminho?
Observando bem, a outras pessoas e a mim mesmo, percebo que o que nos impede é algo criado por nos mesmos. O medo.
Mas medo de que?
Nas nossas mentes elucubramos as conseqüências e conquistas, as perdas, pensamos e pensamos sobre ela, mas é o medo da perda, de perder algo que se tem ao se arriscar algo, é o medo de tentar algo a mais e perder o que se tem e o que se almeja.
Bem, quanto a isso eu penso que é uma atitude segura, se proteger, mas penso no mundo animal, ditos irracionais e sem motivações pessoais, a não ser o instinto, eu vejo um pequeno ser, um caranguejo, o caranguejo Eremita, diferente dos outros caranguejos ele troca de concha, não por que tenha um corpo fraco, na verdade ele possui também sua proteção natural, mas ele busca uma melhor. Então é ELE que TOMA a DECISÃO de trocar de concha.
Ele muitas vezes luta com outro por uma concha o que poderia ser um fator que o faria desisitr de sua decisão, mas não , ele segue sua escolha e muda, briga garanto que nos momentos em que ele esta ali, sem sua casca protetora, e indo ao encontro da nova, ele deve se perguntar, “será que fiz a coisa certa? “ ai vemos uma diferença...
Nós seres humanos nos preocupamos, pensamos antes “Será que é a coisa certa?” vivemos guiados não por nossa vontade não por nosso desejo, não por nossa capacidade e sim por um medo, vivemos guiados por um “SE”.
SE eu arriscar posso perder
SE eu for até a pessoa que gosto e disser o que sinto, ela pode não gostar de mim. E SE gostar, Será que vai dar certo?
EU tenho um emprego, recebo meu salário, pago minhas contas, mesmo infeliz eu me mantenho nele por segurança, por que SE eu sair posso não achar outro que me pague o mesmo, e eu posso ser mais infeliz ou menos infeliz...
E eu me pergunto, até quando? Até quando vamos basear e parear nossa vida em um SE?

Eu a poucos dias tomei uma decisão, escolhi sair de minha concha e arriscar minha segurança, por minha cara a mostra, voltar a procurar um concha melhor, mais aconchegante, mais agradável, SE lá fora vou achar algo melhor ou pior não importa, o importante é que de fronte ao medo de perder algo, eu arrisquei, e por que?
Por que estou saindo de minha concha antiga indo não a busca de uma nova, mas sim em busca de minha felicidade, e SE mais a frente eu perceber que foi erro, que perdi, bem ao menos vou poder dizer que tentei, que vivi e que arrisquei por que QUIS algo melhor, e não esperei por nada.
Vivo minha vida, arrisco minha felicidade e infelicidade, com a mesma intensidade, afinal arepender-SE é algo comum ao ser humano. Mas só se Arrepende quem DECIDE FAZER ALGO.
Eu decidi ser feliz. Decidi cuidar de mim, decidi viver minha vida, decidi olhar para frente, decidi não me preocupar com o que os outros dizem a meu respeito e SE dizem algo a meu respeito.
“viva e deixe viver...”

2 comentários:

Lulu* disse...

Arriscar é o que deixa a vida mais interessante! :)

Boa sorte nas suas novas escolhas e garanto que nem precisa tanto de sorte, tu sempre se preocupa com cada passo que dá.

baccio ragazzo.

G. disse...

Olha, muito lindo o seu texto e a mensagem que ele transmitiu... Eu confesso que ao olhar para trás, nestes meus quarenta anos de caminhada, percebo que deixei passar boas oportunidades de ser mais feliz por ficar pensando o que poderiam pensar a meu respeito ou o que aconteceria SE eu fizesse isso ou aquilo. Arriscar-se, não de modo inconsequente - embora, às vezes a gente acabe por agir mesmo assim - pode nos trazer boas surpresas. Entretanto, se as surpresas não forem tão boas assim, ao menos teremos a agradável sensação de não ter nos acovardado, de termos tentado para que depois não bata o arrependimento e aquela famosa frase: "Ah, SE eu tivesse agido assim ou assado..."

Parabéns, novamente! Está sendo um prazer visitar este teu espaço.

Abraço... Cuide-se bem!