Por que um baú?

Bem, quem acompanha minha tentativa de escrever algo que seja bom ao leitor,vai poder voltar aqui, abrir o baú e ler, pensare espero eu que comente nos textos afinal, esse baú é para guardar pensamentos.
Deixe aqui o seu também.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Eternidade

Ele abriu os braços, e um largo sorriso a pequena criança correu sorrindo ainda mais em sua direção, ele sorria por ver a euforia infantil e a infante pessoa sorria por ver um rosto amigo, e sempre divertido.
O abraço longo o beijo suave no rosto rosado, a voz eufórica e os relatos intermináveis das descobertas da criança fizeram do dia dele se tornar mais aceitável, ao longe ela observa os dois, os carinhos os sorrisos a verdade sentida em cada risada da pequena criança.
- Ola, ela estava com saudades suas. Disse a jovem de cabelos em cachos negros.
- Oi, é ela me disse, eu também estava (disse ele sorrindo para a pequena), e você? Como esta? – Perguntou o jovem rapaz de olhos cansados.
- Estou bem... Tudo se acertando.
- Mesmo? Que bom, e a casa nova?
- Velha, mas tem espaço pra ela e isso é bom.
- Muito bom. – disse ele pegando a criança no colo e andando ao lado da jovem de cabelos negros – Faz tempo que não nos falamos, eu devo pedir desculpas, o trabalho os problemas e tudo que aconteceu. Desculpe minha ausência.
- Não me peça desculpas, ela sentiu mais do que eu.
- Mas ela já me desculpou, espero agora as suas desculpas.
- Não me peça isso.
-...

Os dois caminhavam pelo parque o sol suave na face. O vento fresco e a jovem menina correndo na grama com seu vestido branco com detalhes vinho era observado agora por 2 pares de olhos encantados com sua beleza e simplicidade, uma margarida... um pássaro e um gato que corria longe faziam ela sorrir e rir deliciosamente na tarde em que eles pouco se lembravam deles...
- Ela é muito inteligente, esses dias começou a me fazer perguntas... Me perguntou sobre os peixes, como eles respiram de baixo da água, e completou “Eles são espertos, não tem problemas com poeira”
- HAHAHA, a rinite dela né? Figurinha... linda... sabe, esses dias eu pensava nela, que antes dela nascer eu pensava que certas coisas são eternas, por que duram muito tempo, mas hoje... eu vejo que eterno é um segundo, um único segundo, um momento que se repete inúmeras vezes, infinitas vezes... até o fim dos tempos.
- E que segundo é esse?
- Tenho algumas memórias que são eternas pra mim, o primeiro encontro com você, o nascimento dela, seu sorriso quando ela apertava seu dedo, e quando ela me disse papai a primeira vez... essas lembranças não saem da minha tela de lembranças.
- Eu lembro dela correndo com o sorriso mais lindo que já vi, para seus braços e do calor que vi derramar deles para ela, hoje... acho que vou guardar isso pra sempre.
- ... Eu...
- O que? Fala – Perguntou ela com um sorriso suave no rosto.
- Eu ainda te amo, esse sentimento esta fixo nos segundos que te falei a pouco.
-Eu sei... pena as coisas não serem simples como um segundo não é mesmo?
- É as vezes a gente perde nossa hora... por alguns segundos...
-É acontece
- E ai passamos uma eternidade apenas lembrando de dois ou 3 segundos e deixamos de viver uma vida...

A tarde segue seu caminho, e eles se despedem, ele abraça e beija a testa da pequena menina, enquanto ela finge não sentir um nó se formar em sua garganta, a pequena menina deixa uma torrente de lagrimas correrem em seu rosto, e pede vez por vez que ele vá com ela.
- Eu não posso meu anjo, mas vou te ver em breve ta?Prometo.

As duas se afastam, os olhos vermelhos da pequena mantém os olhos dele fixos, ela abre a porta do carro, senta a criança e ai ele percebe que os olhos dela também estão vermelhos, e ele ali protegido pela distancia pode agora soltar o nó de seu peito e deixar as lagrimas lavarem e gravarem mais alguns segundos na eternidade...

Um comentário:

Yhasmim disse...

Que lindo!!! Confesso que tive um nó na garganta apertando a cada segundo de leitura! Que talendo, parabéns!