Por que um baú?

Bem, quem acompanha minha tentativa de escrever algo que seja bom ao leitor,vai poder voltar aqui, abrir o baú e ler, pensare espero eu que comente nos textos afinal, esse baú é para guardar pensamentos.
Deixe aqui o seu também.

sábado, 29 de janeiro de 2011

Perdido

Vou admitir uma coisa, não sei se todos já sabem ou não, mas vou dizer de forma clara a todos que por qualquer motivo vem a minha pagina para ler o que escrevo...
Estou definitivamente perdido, no sentido não literal da palavra, eu sei onde ir quando saio de casa, sei o que fazer quando caminho, sei tudo que preciso saber, para onde ir como ir, e o que fazer quando chegar La, mas a única coisa que não sei é o que fazer de mim, estou realmente perdido.Muito embora eu sempre encontre alguém que diz ter um mapa, que me aponte onde ir e o que fazer eu me pergunto se é realmente para lá que eu quero ir.
Por isso estou perdido, a tempos me dedico a trabalhar com uma coisa, me aprofundo nisso, estudo isso, e até me julgava um bom profissional, mas dia após dia eu penso que não sou, que não existe isso, quando se quer realmente todo mundo pode ser o melhor, mas ai eu me pergunto seu eu estou querendo trabalhar no que me dediquei... e vejo que o caminho que to trilhando tem muito do que quero, mas não é exatamente o que eu quero.
Fora isso, tem outras questões, acreditava cegamente em tantas coisas, mas com o tempo com o passar dos anos, eu fui vendo que crenças só me prendiam a um tipo de sentimento, uma situação uma forma parcial de vida, eu acreditava em destino e em amor, mas hoje, vejo que hoje em dia destino não existe, e amor é produto vendido em lojas de utilidades, se bem que o amor hoje parece tão supérfluo que acho que logo será vendido a 1,99 nas esquinas da cidade.
A cada vez que penso no que eu sou, onde estou, e se eu fiz algo de diferente, se causei algo as pessoas que gosto, se fui importante a alguém se fiz alguma diferença no mundo vejo que passo em branco, a tirar as poucas linhas que escrevo, passo em branco e mesmo essas linhas acho que não tocam ninguém e não causam mudança a ninguém.
Eu to perdido mesmo, assumo, as vezes me vejo pensando que gostaria de ter uma certa pessoa comigo, mas minutos depois penso que to bem sozinho, que por mais que eu queira realmente ter alguém comigo, e queira ela não minto, ela não esta no momento para isso esta cuidando de sua vida, fazendo o que eu estou fazendo, cuidando da minha mas... to perdido... por que ainda sabendo de tudo isso, e de tantas outras coisas que me fariam esquecer de vez ainda penso nela.
Estou perdido por que procuro trabalho, leio e estudo tudo que gosto, desenho, fotografo, escrevo até e ainda assim não sei que caminho seguir, hoje lembrei-me de um tempo em que pensava sem largar a vida mundana e me enclausurar em um mosteiro, virar monge, me dedicar a minha vontade de fazer algo pra todos e para mim. Mas penso que não sei
O que sei é que sobra tanta coisa em mim, entre as coisas que sobram é a falta de algo que eu não sei o que é... eu na verdade não sei quem sou... e esses textos as vezes são o reflexo de algo que gostaria de ter vivido, as vezes sonhos incompletos e muitas vezes apenas como gostaria de ver tudo... mas percebo que mesmo nos textos eu to perdido.
Não existe um mapa para guiar as pessoas a sua verdadeira realização, não existe um x que marque o tesouro sonhado a tão sonhada felicidade, não existe indicações diretas ou guias de charadas como em filmes e livros para que chegue a uma felicidade ou uma vida razoável
Sei apenas que esse texto é o texto mais complicado que já escrevi, e ao mesmo tempo o mais fácil, por que bastou deixar o peito falar, a mão escrever e os olhos tornarem-se fontes... fontes salgadas de fato... mas fontes perdidas...

Nenhum comentário: