Por que um baú?

Bem, quem acompanha minha tentativa de escrever algo que seja bom ao leitor,vai poder voltar aqui, abrir o baú e ler, pensare espero eu que comente nos textos afinal, esse baú é para guardar pensamentos.
Deixe aqui o seu também.

quinta-feira, 17 de março de 2011

Reflexão

Algumas pessoas tem a mania de ter medo da vida, ou assim pensam que é. Eu vou tentar dizer de uma maneira diferente...
Existem muitas verdades na vida, uma das verdades e fatos é que sempre vamos sofrer, não importa se temos medo disso ou não, Vamos sempre passar por momentos de dor, de lagrimas e de angustia, não importa se estamos preparados ou apenas “deixando ir” vamos sim sentir um espeto no pé, um vazio no peito, um corte no joelho ou dedo da mão... e a verdade mais absoluta é que TODOS temos medo de sofrer.
A gente pensa que pode controlar a vida, e as situações a nossa volta, mas com isso a gente acaba perdendo uma coisa besta que é “viver” e viver tudo como disse lulu santos, viver tudo que é pra viver, algumas pessoas esquecem até de amar...
E por que faz isso? A cada segundo ela, ou ele, se pergunta “será que ela me ama?, será que vai me perdoar e começar de novo? Será que ele(a) vai me trair?” e isso importa? De verdade importa mesmo saber se ela vai te perdoar? Se ela te ama? Ou se vai te trair? Se você gosta mesmo da pessoa e ela te disser “Eu não sou sua melhor escolha no momento” você vai abrir mão disso? Se ela disser “eu gosto de ti mas pode ser que eu te traia” você vai abrir mão de viver algo com ela? Se a resposta for sim... se pergunta antes das duvidas inicias “ eu realmente quero?”
É fato que sofremos a vida toda, e por isso damos tanto valor aos momentos felizes, sejam eles poucos ou longos, curtos ou repetidos, não importa, uma hora ou outra a gente vai ter um momento ruim e vamos nos sentir mal, vazios e tristes, mas e daí? Não é assim a vida? Um pouco como o pai do Bruce Wayne no filme, “ a gente cai para aprender a se levantar” e é verdade. A cada tombo a gente aprendeu a cair, e digo uma coisa aos menos entendidos, algo que posso parecer louco mas basta ler um pouco que vai ver... ( ANDAR É NADA MAIS QUE UMA SERIE DE TOMBOS CONTROLADOS) Então por que ter medo? Quando surgir uma duvida do ponto de vista, “será que ele(a) me ama?” se pergunte Será que eu quero que ele me ame? E mais, será que eu vou me amar ainda se ele(a) não o fizer?
Sim, por que o amor é uma chance, uma pequena porcentagem e nunca uma certeza absoluta de nada, nunca existiu um “ e foram felizes para sempre” e acho que nunca vai existir, mesmo os casados a muitos anos podem dizer que durante toda a história deles existiu momentos de frio, chuva e falta de animo, logo não pense que vai ser pra sempre igual, e se fosse Deus... iria chegar uma hora que tu iria pensar (nossa tem que acontecer alguma coisa... ta tudo muito igual) ... SIM você iria se acostumar com a perfeição e iria buscar uma coisa diferente.
É meio como olhar a mesma paisagem todo dia, o sol brilhando, não muito quente nem muito frio, e o que você mais gosta sendo iluminado por ele... uma hora tu iria querer ver algo diferente... só assim tu poderia querer voltar a ver o que mais gosta... só depois de ver uma cena escura a gente da valor ao dia claro.
Tanta gente reclamava do sol que estava fazendo a um ou dois meses, e hoje ouvi gente dizer que não agüentava mais 3 semanas de chuva... e nem chove o tempo todo.
A gente pode viver a vida de duas formas:
Como a gente sonha, imagina, como o nosso coração manda.
Ou de forma segura, sem riscos e sem surpresas... e o amor é uma surpresa, e se não for surpresa, se você não perceber de uma hora pra outra que uma pessoa não sai de sua cabeça, que você não para de ver o rosto dela(e) a cada esquina que não sente um frio na barriga, um aperto quando o telefone toca que seja... não é surpresa... é o mesmo de sempre.
Uma novela das 8 com ou sem comercial de margarina entre as cenas.
Eu não me preocupo mais com as perguntas inicias, por que não tem como saber, a única coisa que as duvidas fazem em nossas vidas é controlar você, te fazer temer e não viver, a gente nunca vai saber do outro e se perguntar não vai ter a clara resposta e nem sempre vai ser a que a gente gostaria de ouvir... então eu acho melhor viver com a gente, com o que sente, com o que pensa e viver sendo fiel a si mesmo.
Eu vou te dizer uma coisa, a gente só vai saber o que passa de verdade na cabeça e no peito de alguém quando a gente tiver a coragem irrestrita de se entregar ao imprevisto, ao incerto.
Não por acaso o amor é comparado a fogo, quer elemento mais imprevisível que esse? Sabemos que consome, sabemos que pode se comportar de uma forma mas nunca sabemos se REALMENTE ira se comportar assim.
Acho que talvez eu esteja me estendendo de mais no assunto, talvez de 20 que começaram a ler esse texto só 3 cheguem aqui e continuem lendo, mas se for assim vale a pena dizer uma ultima linha de pensamento.
Aceite o inevitável, entregue-se a vida, por que só assim a gente pode dar a sorte de viver um amor de verdade, só assim com o peito aberto a gente pode ver uma “magia” acontecer, por que só com o peito aberto como os olhos a gente vai entender que “sofrimento faz parte do caminho” cabe a ti escolher sentar na calçada e chorar as mazelas da vida, ou levantar e seguir “caindo controladamente” na vida.
Eu sempre pensei que Tropeçar é o que te faz andar mais rápido...

Nenhum comentário: