Por que um baú?

Bem, quem acompanha minha tentativa de escrever algo que seja bom ao leitor,vai poder voltar aqui, abrir o baú e ler, pensare espero eu que comente nos textos afinal, esse baú é para guardar pensamentos.
Deixe aqui o seu também.

sábado, 25 de junho de 2011

Teorias relativas

Ele esperava ansiosamente, os ponteiros giravam e giravam, mas o mundo a sua volta parecia parado, Não era assim que ele sempre se via, sentia-se sempre alguém que controlava suas vontades, segurava seus desejos e tinha total controle sobre seus sentidos e sentimentos... mas não agora... não ali, olhando o ponteiro girar um minuto com a eternidade de uma hora.. mas a mensagem no celular foi clara.. ela ja estava chegando... ele mesmo sabendo disso apertava o relógio com a incerteza de que o tempo iria se apressar...e saltar entre seus dedos... mas logo a respostas veio. ela descendo do ônibus, olhar calmo, sorriso largo... foi ai que ele percebeu... realmente o mundo parou... realmente o mundo parou assim que ele a viu... e assim que ela sorriu timidamente para ele...
Um oi simples um abraço comum... bem era apenas o inicio.. a noite era longa... e o tempo não importava mais... ele estava com ela...

em poucos minutos ao lado um do outro era como se as horas esperadas fosse na verdade horas de convívio e entendimento, as rixas anteriores, as brigas sem motivo agora davam lugar a um desejo de apenas ficar ali, olho nos olhos... mesmo que em silencio absoluto, por longos minutos fizeram isso, calados apenas olhando o mundo a sua volta girar como os ponteiros do relógio.
Até que em u momento qualquer, sem explicação, sem sentido algum do que nós homens que vivemos nesse mundo chamamos de lógica eles trocaram carinhos e beijos... e a intimidade que era visível a quem quiser ver, mesmo que distante, pode ser em fim demonstrada...
Mas o tempo que antes era lento e preguiçoso apresou-se para recuperar seu fôlego... comprovando a inevitavel certeza da relatividade... quando se esta vivendo algo bom... o tempo voa...
E logo as horas escoaram como segundos e a manhã chegou de forma inesperada...
E com ela... um “adeus” ...
Ele voltou a seu canto.. ela voltou a sua morada...
Ela com suas certezas incertas..
E ele com a incerteza de suas certezas incertas...
E o tempo... bem... o tempo parece que voltou a correr... lentamente...

2 comentários:

Luiza disse...

Lindo! Aguardando novos! abraços! ;)

DESAGUANDO disse...

Olá querido,
Adoro tudo por aqui...as coisas de ler e as coisas só pra olhar...tudo tem sua cara. Por isso quando ganhei mais um selinho lembrei de vc e do trabalho legal que vc desenvolve. Ganhei o selinho e estou lhe indicando. É só copiar a imagem e colar, assim como eu fiz. Bju grande.

http://desaguandovania.blogspot.com/2011/07/mais-um-carinho.html