Por que um baú?

Bem, quem acompanha minha tentativa de escrever algo que seja bom ao leitor,vai poder voltar aqui, abrir o baú e ler, pensare espero eu que comente nos textos afinal, esse baú é para guardar pensamentos.
Deixe aqui o seu também.

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Confeitos

Ele Caminhava pela rua apressada mente, seus passos estavam decididos a chegar lá na hora certa... muito embora sua mente o questionasse o motivo...
“Um sonho... que idiota... quem segue um sonho!? Quem se levanta do trabalho em meio a um dia de trabalho e vai a um lugar que nunca entrou apenas passou a frente por causa de um sonho!? Eu só posso estar louco... só pode ser loucura.. é loucura... “
E mesmo pensando em voltar seguiu rua a baixo decididamente
Fechou os olhos antes de entrar, e torceu para não ter feito loucura.. entrou no exato momento em que seu relógio mostrava a hora do sonho... e assim como nele, La estava ela de costas no balcão... esfregou os olhos e até duvidou que fosse realidade, mas era ela mesmo... e ela logo o reconheceu.
- Ola... nossa.. nunca pensei te ver por aqui! – disse ela em um tom amistoso escondendo o susto.
- ... Pois é nem eu... – respondeu timidamente escondendo a felicidade em ver ela realmente ali.
- E o que te trouxe aqui!?
- O sonho
- AH... sim eu gosto, mas prefiro a bomba de chocolate... acredite é melhor.
- ... é? Ok... já esta de saída?
-Sim... por que?
- Não sei... pensei em papear um pouco com você, se não estiver muito atrasada
- Vamos sentar então!?
Ambos sentaram-se em uma mesa no canto e falaram algumas amenidades até que ela perguntou.
- Vai... me fala por que esta assim tão estranho!?
- Acredita em Destino!?
-.. Destino? Não sei... acho que sim... por que?
- Essa noite eu sonhei com você, aqui... exatamente nessa hora... nesse lugar... e vim do outro lado da cidade a esta confeitaria única e exclusivamente para te ver.
-... ah.. o sonho era esse?
-Sim é esse, Não entendo se existe destino, se existe realmente isso... mas quando abri a porta e te vi pegando seu embrulho no balcão... foi como se um relâmpago me atingisse as costas.
- Tão ruim assim?
-Não... pelo contrario, mas ... você sabe que eu te amo... ainda, ainda amo... e sei que é loucura isso tudo mas... eu tinha que vir e te ver... mesmo que não fosse verdade eu não poderia deixar passar isso, não poderia perder essa chance mesmo que seja apenas em sonho.
- Eu não tenho o que te falar, acho que qualquer pessoa ficaria feliz em saber que alguém acreditou em um sonho e fez isso para encontrar com ela mas... meu sonho é outro e você sabe... e ele é bem real pra mim... Não sei o que te dizer... não sei mesmo.
-E não tem o que dizer... foi bom te ver... mesmo que assim por poucos minutos...
- Para... acho que tem que acordar... talvez não fosse nada de destino... talvez seja apenas um acaso, e por acaso muitas besteiras são feitas... então... desculpe... mas... eu tenho que ir. – Disse isso levantando-se caminhando a porta antes olhando por sobre os ombros ela pergunta
- Não é nada além de curiosidade mas como termina o sonho?
- Com você fechando aporta e atendendo um telefonema.
-... ok Beijos
Ela sai e poucos passos depois sente seu telefone tocar, enquanto ele baixa a cabeça e mastiga amargamente o seu sonho...

Nenhum comentário: