Por que um baú?

Bem, quem acompanha minha tentativa de escrever algo que seja bom ao leitor,vai poder voltar aqui, abrir o baú e ler, pensare espero eu que comente nos textos afinal, esse baú é para guardar pensamentos.
Deixe aqui o seu também.

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Para sempre.

imagem google - internet -



A senhora sentou-se na cama olhando o armário de portas abertas, a muito já largara o luto, mas abrir mão dos ternos, e camisas dele estava fora de cogitação, mantinha apenas para marcar, um vidro do perfume que ele mais gostava e vez por outra borrifava sobre as camisas apenas para sentir, como se fosse o cheiro dele... mas não era, seria só metade... a outra metade se foi... a metade que a fazia se sentir completa.
As meias, gravatas, cintos, tudo organizado como ele sempre deixou, os paletós que ele gostava de usar no domingo quando ia a missa ladeado a ela, no pé do armário uma pequena caixa de sapato e dentro dela, os bilhetes que ela mandou a ele, as entradas te todas as seções de cinema, teatro e shows que foram juntos, em uma pequena caixa de madeira avermelhada, com detalhes art noveau, ele guardava algumas fotos, com datas e frases no verso... isso tudo ela sempre via... sempre que abria o armário.
Ela levantou-se e começou a mexer nas roupas, cheirava os colarinhos, observava se alguma estava sem botão, ou com alguma mancha, pouco a pouco foi aproximando-se de um velho paletó, o mais antigo, ela tirou-o do cabide e vendo os bolsos encontrou um envelope já amarelado pelo tempo, olhou a data... não existia... olhou remetente.... em branco... destinatário... “minha doce e querida Cereja” . seus olhos velhos e cansados boiavam agora em uma fina camada de lagrimas, ele a chamava assim no inicio do namoro e foi assim até os dias finais... ela tremula e em duvida abriu o envelope e deleitou-se com a caligrafia dele em um papel sem pauta.
“Minha doce e querida cereja...


Eu pensei tanto em te dizer o que sinto por ti, por muitas vezes eu pensei em não dizer, em me guardar em esconder ... mas não tinha como fazer isso... a verdade é que sempre que me olhava com seus doces olhos eu sentia que não tinha como negar... eu realmente não tinha como negar.
Eu passei tanto tempo sem acreditar, não queria mesmo acreditar que isso poderia acontecer comigo, eu não acreditava mais nisso, e você sabe, para mim isso não era real, mas agora com você eu não posso negar... é amor.
Toda vez que acordo, e te vejo a meu lado, toda vez que me sorri e me fala das coisas banais de seu dia... eu tenho certeza que só pode ser você o meu verdadeiro e amor, eu te pediria em casamento todas as manhãs, e me casaria com você todas as noites só para poder ver seu sorriso regado a lagrimas no dia de nosso casamento. Na verdade eu vejo esse sorriso todo dia... sempre que fecho os olhos... e acho que vai ser assim pra sempre.

“Para sempre”... quem diria que eu estaria dizendo isso, eu que não acreditava mais em romance, amor e nem nada disso... mas eu agora acredito...tenho certeza toda vez que desperto e te vejo ainda dormindo mexer os pezinhos, toda vez que te vejo se espreguiçar antes de abrir os olhos... e toda vez que posso me entregar ao desejo de beijar sua nuca com os fios mais lindos e revoltos que já vi...
Mas não sei até quando será o meu para sempre... não sei se viveremos para sempre juntos e no fim viraremos estatuas de mármore sentados em um banco de praça, ou se Deus por maldade ira tirar um do outro antes do tempo... mas se isso acontecer saiba de uma coisa.
A cada dia que me contar suas chatices do dia, a cada briga que tivermos por besteiras da vida, a cada não por cuidado ou proteção, a cada deslize de humor... eu vou sempre saber que eu não estaria em lugar melhor no mundo se não a teu lado.
Você é a única mulher com quem eu gostaria de caminhar, de seguir meu caminho, sem você eu certamente estaria melhor sozinho, tenho em seus olhos o conforto que preciso, na sua voz as respostas e em suas mãos o meu melhor cobertor.
E como diz o poeta.. que seja eterno... e eu termino assim... é eterno... é para sempre...”

A carta não tinha data, e ela nunca havia lido, nem ele nunca havia dito nada disso para ela, mas enquanto lia pode sentir que não havia hora melhor de encontrar essa carta... não podia ser em melhor hora... virou-se instintivamente para a porta e para a mesa de canto próxima a ela, e na foto o vejo senhor de cabelos grisalhos sorria para ela... o seu melhor sorriso e ela só conseguiu dizer...
- É meu lindo... é para sempre....

Nenhum comentário: