Por que um baú?

Bem, quem acompanha minha tentativa de escrever algo que seja bom ao leitor,vai poder voltar aqui, abrir o baú e ler, pensare espero eu que comente nos textos afinal, esse baú é para guardar pensamentos.
Deixe aqui o seu também.

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

"Era uma vez - O bosque"

O chamado


“Acorde... vamos pequena acorde...”
- Nha mãe só mais 5 minutinhos - respondeu Martha tapando o rosto com a coberta. Mas logo a voz voltou a dizer
- Mãe? Ora bolinhas de lã... eu sou um gato e não uma gata, e já passou da hora da senhora me dar minha tigela de leite.
Ela arregalou os olhos... queria que tudo fosse um sonho mas não era... ela realmente entendia o que seu gato estava falando, sentou-se na cama e olhando para o gato que se lambia a sua frente disse
-Isso não pode estar acontecendo... Deve existir uma explicação lógica pra isso.
- Lógica? Mais onde falta lógica? Nossa... quantos seres deixam de existir quando uma criança busca a lógica e não a mágica. – respondeu uma voz forte vinda de fora de sua janela.
Martha caminhou até a janela, e abriu e lá no parapeito da janela estava um pequeno Camundongo, levantou-se e curvando-se como se estivesse a frente de uma rainha disse
- Bom dia boa senhora, Martha eu presumo?
- ... ele fala...
- Entre outras coisas, sim, eu falo, e trago uma mensagem do bosque para a senhora
-Pra mim?... mensagem... do bosque?
- Acredito que tenha sido isso que acabei de dizer... pois bem... A senhorahaaaaaa – Gritou com uma voz forte que parecia não caber em seu pequeno peito ao ser pego de surpresa pelas patas de Chartan.
- Me solte seu bola de pelos, mensageiros não deve ser atacados e nem comidos.
- Nham... é verdade... desculpe minha indelicadeza mas meus instintos ainda falam mais alto...
- Pois bem... onde estava? – disse se arrumando como alguém que acabou de levantar de um tombo... e continuou - Ah sim... O bosque convida a senhora para um encontro hoje onde tudo será explicado e a senhora poderá entender tudo que acontece.
- Mas minha mãe me proíbe de sair do quarto... estou de castigo...
-Castigo? - Perguntou o camundongo levantando a orelha e mexendo os longos e finos bigodes.. – Pois bem direi ao bosque que sua resposta foi estar de castigo. Seja lá o que isso significa talvez ele entenda.
-Não... calma. Castigo é quando estamos impedidos de fazer algo, uma punição, ontem no bosque eu adormeci e quando acordei era muito tarde minha mãe me pois de castigo por isso.
- Por dormir? Nossa que mãe complexa... em meu ninho não se impede ninguém de dormir no bosque.. pois bem... o que digo ao bosque minha senhora?
- Diga que irie, após o meio dia, ok?
- Direi minha senhora, e não se atrase sim? Existe muita coisa a ser dita e pouco tempo para isso
- Acredite eu estou muito interessada em saber se estou louca ou o que...
-Acredito que seja mais “o que” do que loucura... pois bem vou indo dar o vosso recado. – Dito isso o pequeno camundongo pulou para a parede ao lado e desceu rapidamente por ela entre os galhos das trepadeiras que subiam a parede até próximo a janela e logo tomou o jardim e entrou no bosque...
-Chanrtran ... algo me diz que isso não é um sonho qualquer... e que realmente algo de inacreditável esta acontecendo.
- Sim sem duvida... é inacreditável que eu ainda não tenha tomado minha tigela de leite a uma hora dessas.
- Eu sempre achei que você fosse resmungão mas não tanto seu gato chato – disse ela fazendo carinho na cabeça de Chartran e depois caminhando a porta continuou – então vamos tomar nosso café e pensar em um jeito de ir até o Bosque... Mamãe não vai deixar tão facilmente.

Nenhum comentário: