Por que um baú?

Bem, quem acompanha minha tentativa de escrever algo que seja bom ao leitor,vai poder voltar aqui, abrir o baú e ler, pensare espero eu que comente nos textos afinal, esse baú é para guardar pensamentos.
Deixe aqui o seu também.

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Umas quadras a pé

O telefone tocou uma, duas, três vezes até que ele finalmente conseguisse atender.
- Alo.
- Oi... sou eu tudo bem?
- Oi... – disse sem esconder a surpresa.
- Tudo bem? – disse ela com a voz em duvida se tinha feito a coisa certa.
- Sim ... sim tudo bem eu só não esperava... digo não imaginava que tu fosse me ligar.
-A nem eu, mas liguei, fiz mal?
- Não, nunca.
- Então o que tem feito de bom?
- Olha... o de sempre, e você?
- Trabalhando muito, ainda terminando meus estudos, me dedicando sabe?
-Sei, você faz bem, fico feliz por isso, mas desculpe perguntar, por que me ligou hoje? Depois de tanto tempo?
-Sei la... deu vontade de falar com você
-Eu pensei muitas vezes em te ligar.. mas nunca tive coragem... sei la tinha medo de você não querer falar comigo.
- Nha... então esses dia, eu acho, que te vi na rua.
-E por que não falou comigo?
-Eu estava no ônibus, e acho que era você não tenho certeza.
- É... eu tenho andado muitos quarteirões por sua causa.
-COMO ASSIM?
-Eu sempre que acho que é você na rua eu desço do ônibus para ter certeza.mas nunca é.
- Você é louco, por que continua fazendo isso?
- Por que eu espero que na próxima seja...
-É somos diferentes nisso, eu já teria desistido.
- Eu nunca desisto do que vale a pena.
-nha bobo, me fala... o tem que ter alguma novidade, me conta?
-Não tenho novidades... continua tudo igual
-Poxa... pensei que tivesse um monte de coisas pra me contar.
- Nada... só trabalho, me aperfeiçoando, aprofundando na minha área... nada de diferente, e você? desde de...
- de?
-Você sabe.... o que tem feito
- Desculpe...Eu acho que não devia ter ligado... desculpe por te fazer mal?
- Hey... você não fez mal... a sua falta faz... você nunca.
-... Você sempre sabe fazer eu me sentir menos mal com o que você fala...
-Que bom... ao menos acerto em algo né?
-Bobo... você acerta muito... mas você sabe... eu tinha que tentar né?
- Sim eu sei.. é seu sonho, não te critico por nada... tudo aconteceu por vontade, é bom que seja assim. Você sabe que ainda gosto de você, que é importante pra mim não é?
- ... É eu sei... eu queria que tudo fosse diferente entre a gente... Mas você sabe....não deu.
-É Eu sei... é seu sonho de criança.
-É mas eu queria que fosse diferente... tudo... que tudo fosse diferente.
-É essa é mais um diferença entre a gente.
-Qual? Não entendi, eu querer que fosse diferente?
- É você quer que seja diferente, e eu daria tudo para que fosse igual... que nunca tivesse mudado, que nem um sonho pudesse mudar aquilo...
- ... E mudou muito?
- O que?
- o sonho mudou muita coisa em você?
- Não... em mim continua a mesma coisa... mas é apenas impossível de acontecer de novo.
-... agora você disse algo que me deixou mal.
- Desculpe... talvez essa seja mais uma diferença
-O que?
-Você se sente mal em saber que eu te amo, e eu me sinto mal por não saber se você me ama...

Depois de um breve momento de silencio os dois voltam a falar sobre amenidades, sobre filmes, musicas e seriados... e depois de um bom tempo os dois foram se deitar... cada um pensando nas diferenças e semelhanças entre eles... mas enquanto um sorria e alinhava-se em sua cama feliz por ter tido a conversa, o outro se cobria em pensamentos e duvidas. Um sonho pode realmente afastar algo tão real como aquilo?
A manhã chega e nenhuma resposta é encontrada... apenas a certeza que uns quarteirões a mais podem ser andados a pé movidos por uma esperança... ou sonho.

Um comentário:

Luana disse...

Todo mundo sofre tanto por aquilo que nao foi... A ideia de que tudo poderia ter sido diferente, se fizemos as escolhas certas sempre nos atormentam...

Essa semana chego ao fim de uma etapa difícil na minha vida, de uma decisão muito complicada que poderia ter causado muitos danos... Mas que felizmente tem tido um final feliz... Alias, final eh errado, tem tido um presente feliz, porque final a gente não sabe se tem... Nem com a morte

otimo texto!