Por que um baú?

Bem, quem acompanha minha tentativa de escrever algo que seja bom ao leitor,vai poder voltar aqui, abrir o baú e ler, pensare espero eu que comente nos textos afinal, esse baú é para guardar pensamentos.
Deixe aqui o seu também.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

É estranho

É tão estranho quando se sente saudades de coisas simples... na verdade não é saudade...é falta... quando se sente falta de coisas simples como um sorriso de canto de lábio, um olhar de rabo de olho apenas para constatar que você estava olhando para ela, alguns fiapos de cabelo arredios na nuca e uns outros nos lençóis...
São coisas simples que na hora podem passar despercebidas, na verdade para muitas pessoas passaria mas quando se sente algo realmente forte você acaba percebendo a grandiosidade dessas minúsculas lembranças... são como pontinhos... milhares de pontinhos que juntos fazem um quadro grande e lindo...
Algumas vezes, até sem querer, a gente se pega sentindo falta até de uma briga, uma birra que teve, lembra-se com exatidão quase que filmo gráfica as brigas, as vezes que bateu a porta, ou que levantou-se nervoso... ri... ri muito por lembrar que era tão idiota o motivo, mas... aconteceu e você lembra... e relembra e lembra de novo como quem busca uma forma de voltar no tempo e ao invés de dizer um “isso” dizer um “aquilo que faria tudo mudar”... mas o tempo não volta... e o tempo é ainda mais estranho.

O tempo é uma força estranha, que pode te fazer amar loucamente uma coisa em poucas horas e não esquecer dela por anos depois... tempo pode fazer com que anos sejam gastos construindo uma imagem e esta mesma se destrua em poucos segundos... mas o mais estranho do tempo é que mesmo passando freneticamente e cada vez mais “rápido” para alguns momentos da vida eles esta completamente congelado... talvez seja culpa da falta que a gente sente destes momentos.
Outrora eu fechava os olhos e lembrava com exatidão o meu avô, lembrava dos fios bancos em sua barba, da voz pesada e forte... mas cresci, o tempo passou e eu passei a lembrar de outros momentos, me lembrava dos olhos perdidos procurando, das frases loucas nas conversas, das musicas trocadas como segredos e dos segredos trocados pela madrugada.

Lembrar é uma arte, acredite, não é essa que se ensina em dvd´s de métodos para memória, eu falo das lembranças, que as vezes tem pegam no metrô e te fazem lembrar de um pé solto balançando suavemente antes de dormir... ou de um gesto um ato que repetidas vezes viu e esperou se repetir... ou que por sorte ou azar aconteceram uma única vez, com um beijo no peito e selar a mão sobre o lugar onde beijou...

Pode dizer o que quiser, pode apontar e pensar que este é um tolo que se prende em lembranças, mas pense comigo, conhecimento não é lembrança? E eu amo conhecimento... eu amo minhas lembranças sejam elas de uma tarde de domingo que nunca aconteceu, ou das longas horas de espera da sexta que chegava...
Pouco importa.

Lembrar não muda o passado e não aproxima o futuro ou reescreve um presente... lembrar serve apenas para acalmar um peito que triste pelo hoje e desacreditado do amanhã busca o conforto de um ontem...

Nenhum comentário: