Por que um baú?

Bem, quem acompanha minha tentativa de escrever algo que seja bom ao leitor,vai poder voltar aqui, abrir o baú e ler, pensare espero eu que comente nos textos afinal, esse baú é para guardar pensamentos.
Deixe aqui o seu também.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

em paz...

A pele suave da ponta de seus dedos percorreram toda a extensão da lateral do rosto dela, mesmo com o peso dos anos, mesmo com tantas marcas causadas pelo dias vividos ela estava ali, agora ainda mais linda do que no primeiro dia que a viu, ela em um gesto felino alinha a o rosto nas mãos rugosas e macias dele e assim segurando suavemente diz
- Sabe, nunca pensei te ver aqui... dessa forma...
- E nem eu pensei que tu viesse aqui... quanto tempo faz? 12? 15 anos!?
- Não.... acho que é um pouco mais que isso – disse sorrindo e passado suavemente a mão nas mãos dele.
- Pouco importa não é? O tempo parece que não passa pra você.
-Exagerado.... eu estou mais enrugada que uva passa.
- Para mim esta ainda mais linda... – A frase saiu como que acompanhando o polegar dele que acariciava a costas da mão dela relembrando um carinho tão antigo como o próprio carinho.
- Você Diz isso pra todas – Sorrindo como que evocando as lembranças de um tempo que a muito passou... e talvez passou rápido de mais.
-Nada... eu só falo isso pra quem merece.
- Como esta se sentindo hoje?
- Hoje? Como sempre, mas agora... agora eu sou capaz de correr uma maratona... ao menos meu coração já esta batendo como se tivesse feito isso.
- Seu bobo, não mudou em nada hein? Continua o mesmo ... com umas rugas a mais mas o mesmo bobo de sempre.
- É eu me esqueci que isso não muda...
-O que não muda? - tirando o cabelo ralo dele que teimava em cair sobre os olhos dele.
- O que sinto por você não muda, nem com meio século entre a gente... mesmo com tantos anos...
-Hei... você tem mais anos do que eu - Tentou assim com uma brincadeira mudar o rumo da conversa, mas ela mesmo queria continuar ouvindo a anos não sentia uma verdade dita assim tão francamente sem medo e sem receio.
-Eu sei... o que comprova que eu sei bem o que digo... nunca mudou...
- Mas me fala... nesses anos todos... o que fez da vida? Deve ter novidades né? São 50 ANOS
- Bem deixa eu ver... a ultima vez que nos falamos pra cá o que aconteceu? A sim.... eu soube de seu casamento... torci para que tu fosse feliz, e toquei a minha vida, conheci muita gente boa, tive algumas namoradas...
- Eu sabia, você sempre fazendo de bom moço mas é um mulherengo.
-Eu tentei foi te esquecer, afinal... você estava casada... e você sabe... como eu sou.
- Sim eu sei... apesar de as vezes você ser meio “inconsequente “ né?
- É mas eu culpo o amor por minha inconsequência.
- Mas não vamos falar disso não é?
- Não... claro que não, só deixa eu dizer pra você tudo que eu sempre pensei em dizer esses anos todos?
- ... E por que tem que ser agora?
-...Não sei... só quero dizer... posso?
- Pode...
- Eu passei muito tempo procurando alguém que pudesse chegar perto do que você é pra mim..
- Fui..- disse ela corrigindo
- Não... do que é! Como disse não mudou nada... e eu como te disse a 50 anos atrás, te trouxe comigo todos os dias da minha vida.
- Deixa de ser bobo... você ainda é “garoto” vai viver muito e vai acabar me esquecendo.
ele se senta na cama e esticando os braços abre uma gaveta, e tira um grupo de cadernos e entrega a ela.
- Leia... já que eu não consigo terminar de falar...
- Desculpe...
-Você nunca saiu de minha vida, e a prova esta ai nessas folhas, folha por folha tu vai ler que eu não digo coisa diferente ...
Ela abre um caderno e vê que de tempos em tempos, as vezes uma vez ou mais por dia ele escrevia ali alguma coisa, pequenos textos, pensamentos e frases e todas ela era citada, mas o que mais a espantou foi o fato da primeira data ser 1 dia depois deles terem se afastado...50 anos atrás.
- Você escreveu todos os dias!?
-Era a única forma de te dizer o que eu sinto por você...mas me diz... e você? Foi feliz esses 50 anos?
- Eu tentei muito, consegui umas vezes, outras nem tanto... e você foi?
- Eu sobrevivi... sabe... Por mais que eu tenha vivido com uma ou outra pessoa... eu descobri uma coisa.
- O que?
- Nunca vai existir na minha vida alguém como você...
- ... Já faz muito tempo... esquece isso...
-É complicado... se eu esquecer de você vou estar apagando de minha memória todos os dias de minha vida, eu vou estar esquecendo da minha vida... vou estar esquecendo de mim...
- Teve netos?
- Não, nem filhos...
- E por que?
- Por que sempre quis ter uma família com você...
-Eu tenho um casal de filhos e 5 netos.
-Invejo eles
- odeio essa palavra... mas por que inveja?
- Por que quando eles te abração eles conseguem ter nos braços todo meu mundo...
-...
O médico entra e avisa que o horário de visitas esta acabando, e que ele precisa descansar.
- Olha eu prometo voltar pra gente se falar mais. Ok?
-Não prometa... Mas vou tentar te espera um pouco mais. – disse sorrindo e beijando suavemente as mãos rugosas dela, e ela teve a certeza de ter voltado no tempo por alguns instantes.

Enquanto caminha para fora do hospital, e acenava para o taxi, pensou que devia voltar no dia seguinte... talvez todos os dias seguintes...
No taxi abriu os livros e folheou-os rapidamente, eram muitos cadernos, então teve a ideia de ler a última folha escrita.

E assustou-se... a data era de hoje. E dizia

“ Hoje, não sei por que mas acordei lucido, uma certa alegria, as dores menores, mas ainda sentindo o peso de nunca mais ter a visto, essa noite sonhei que a via entrando pela porta do meu quarto, ainda vestindo aquele vestido florido, ainda com os cabelos soltos, e os fios revoltos em sua nuca...
Talvez seja isso mesmo... talvez ela seja o anjo, a valquíria que me leva para o valhalla, eu só peço os deuses que eu possa ver ela uma ultima vez e dizer tudo que quis dizer esses anos todos... embora tudo se resuma em uma única frase... Eu te amo, depois disso... ok... depois disso eu posso ir em paz.”

E foi assim, com os olhos boiando em sentimento que ela atendeu o telefone que dizia que ele tinha realmente ido em paz.

Nenhum comentário: