Por que um baú?

Bem, quem acompanha minha tentativa de escrever algo que seja bom ao leitor,vai poder voltar aqui, abrir o baú e ler, pensare espero eu que comente nos textos afinal, esse baú é para guardar pensamentos.
Deixe aqui o seu também.

domingo, 5 de fevereiro de 2012

"OBRIGADO"

Ela chega em casa tarde, mais tarde que o de costume, e como sempre, assim que entra deixa a bolsa no apoiador perto da porta e da o play nas mensagens da secretaria eletrônica, enquanto acaricia sua gata, e coloca leite para ela ouve os recados de sua família e amigos, a casa esta arrumada, sua diarista faz bem seu trabalho e na geladeira um recado.

“ As cartas estão nem sua mesa, precisei comprar produtos de limpeza o troco esta no pote de vidro, semana que vem eu volto. Maria”

Ela sorri e volta para a sala, liga a tv e vai ao quarto despindo-se da semana como faz com as roupas, no quarto passando por sua mesa vê o montante de cartas e da uma “chegada” nelas, todas comuns... menos um envelope escrito no remetente apena sum “ obrigado”.
Abre a carta com mais curiosidade do que vontade, e dentro dela uma ou duas folhas finas de papel escritas com uma letra trabalhada... alguém tinha gasto um bom tempo escrevendo ali.

Não sei como receberá essa carta, na verdade acho que nunca ira ler, assim como acho que nunca terei coragem de te enviar, mas se esta lendo, é que em fim tive coragem, em fim pude caminhar as duas quadras até os correios e correr o risco de seu endereço ainda ser o mesmo, o que espero muito que seja, afinal seria estranho receber essa carta de volta em minha casa.

Mas bem, o fato é que escrevo por um motivo simples, na verdade não tão simples, ou simples o suficiente para se complicado de mais para ser dito diretamente e sem rodeios, lembra da vezes que ficávamos deitados falando sobre nossas vidas? E que ali sem querer confessávamos um ao outro os medos e falávamos muitas vezes com os olhos cheios de lagrimas sobre quem a gente admirava e amava? Ali deitados naquele colchão vendo tv até tarde, ou depois de saciarmos nossa vontade um do outro, a gente ria, se conhecia mais e mais e nos entregávamos sem medo um ao outro. Lembra?

Acho que eu nunca dei muita importância aqueles dias, nem ao dia que por raiva levantei pisando forte, e falando duras frases, ou das vezes que me olhou do outro lado da cama e me disse um simples “meu amor” era incrivelmente feliz por ter esses momentos bestas, não faz a menor ideia de como eu era feliz, e sabe por que? Porque mesmo que a semana demorasse a passar, mesmo que na outra semana eu ficasse te esperando, ou que não desse pra gente se ver por qualquer motivo, eu sempre, sempre mesmo recebia uma mensagem ou um telefonema que me fazia sorrir como uma criança. Aqueles meses foram e ainda são os melhores meses de minha vida, talvez você nem saiba disso, ou agora comesse a se lembrar e perceber isso, talvez lembre dos motivos que nos separaram ou dos erros cometidos, mas eu mesmo lembrando de tudo isso, ainda lembro das coisas boas... e são tantas não?

Não sei se sente saudades, na verdade nem sei se pensa em mim, se lembra de mim, ou se quer lembrar, acho que o não querer lembrar, sentir ou pensar é pior do que ele simplesmente não acontecer, um você faz por descuido, apenas por uma ocupação ou preocupação da vida, o outro você faz por vontade, se força a não lembrar, pensar e sentir e no fim isso acaba parecendo normal, e certo... queria que não fosse assim.

Mas meu querer é tão bobo, tão falho que me prendi a ele por esse tempo todo, muito tempo de certo, e fiquei vendo você de longe, na verdade nem ver eu vejo, apenas imagino e espero que esteja indo como eu gostaria que fosse, a vida caminhando, o trabalho bom e como gosta, e a família se formando, se fortalecendo e crescendo... ao menos é assim que gostaria que fosse.
Mas meu querer não mudaria nada, nem faz você ser feliz pelo simples fato de eu querer te ver feliz, se fosse por querer estaríamos juntos sentados ou deitados agora na cama rindo e nos conhecendo mais e mais. Mas não e assim.

O tempo passa né? Segundo a segundo ele da essa volta absurda que chamamos de horas, e as horas em dias, e os dias em semana, semanas em meses, meses em anos... e anos em vida, mas o tempo por mais que a gente diga que não volta, é cíclico, ele volta sim, amanhã tudo se repete, as mesmas horas, no dia, ano que vem os mesmo meses no ano, mas a vida não, a vida passa, e no fim dela, acredite ou não em uma vida após essa, ou em uma eternidade em algum outro lugar, é o fim desta vida, se vai se repetir na próxima eu não sei... não faço a menor ideia, mas acho que é uma perda de tempo deixar a vida passar como as horas.

Ainda estou morando no mesmo lugar, ainda frequento os mesmos lugares, ouço as mesmas musicas, vejo os mesmos filmes, danço do mesmo jeito, rio do mesmo modo, embora faça tudo diferente eu ainda faço tudo igual... estranho? Bem... não é... isso se chama LEMBRAR.
E por mais estranho que pareça, eu lembro, me recordo de cada segundo, do tempo que passamos juntos e ainda escuto as musicas, ainda te vejo a minha frente dançando, ainda sinto seu toque no meu rosto, no meu peito, nos meus cabelos, ainda escuto sua voz sussurrando que gosta deles...

Eu tenho passado minhas horas, meus dias, minhas semanas, meus meses e até anos lembrando de ti, alguns amigos me dizem sempre que estou louco, que eu devia esquecer, que nada mais me resta a não ser viver, e eu concordo, mas também quem são eles? O que sei é o que sinto por você. E por isso eu quero te agradecer.
Obrigado por ter ido me ver aquele dia, por ter subido as escadas daquela forma, obrigado por ter segurado minha mão no parque, obrigado por ter me dado aquele beijo, obrigado por ter me confessado seus receios, obrigado por ter ouvido os meus, obrigado por ter me feito carinho, obrigado por ter aceitado os meus, obrigado por ter me olhado em quanto eu fingia que não via você me olhando, obrigado por deixar eu ficar te olhando enquanto dormia, obrigado por me fazer sorrir ao ver seu pé se mexendo antes de dormir, obrigado por me encantar com os fios revoltos de sua nuca, obrigado por me mandar sms nas horas que os nossos sonos fugiam um com o outro, obrigado por me dizer sempre a verdade, mesmo que dura, obrigado por sorrir como só você sorri, obrigado por fazer com que eu sorrisse como só você conseguia fazer eu sorrir, obrigado por ter ido ao cinema comigo, por ter visto aquele filme que ERA A NOSSA CARA, obrigado por me morder, obrigado por me apertar, obrigado por me atender e por não me atender, obrigado pelo “gostoso”, obrigado por correr a minha frente, obrigado por entender minhas piadas, obrigado por rir das piadas sem graça, obrigado por gargalhar tão linda, obrigado por deixar fios de cabelo na minha roupa, obrigado por deixar marcas em min, obrigado por todo tempo que esteve comigo, obrigado por me dar a prova de que amar é possível, obrigado por deixar eu te amar...
A lista seria grande se fosse colocar todos os “obrigados” que queria te dizer, a lista seria imensa, mas assim resumidamente acho que faz bem seu papel, e por falar em papel, já estou acabando com mais uma folha. Bem.. acho que é hora de dizer aquele pequeno motivo que me fez escrever essas linhas todas para em fim ter coragem de dizer que.
Eu te amo.

Pode parecer pouco, só essas 7 letras, e dois espaços, mas elas tem muita coisa na simples existência delas nessa ordem. Em fim. Saudades de você e espero que saber disso não te faça mal, e que ao ler algo nessas linhas tenha sentido ao menos um pouco do calor que tenho por ti. Afeto, é algo que aquece as almas... a minha queima por você.
Te amo pequena.
Te amo princesa.
Beijos.”

Sentada na cama ela apenas suspirou e por fim acariciou novamente sua gata que alinhava-se em seus pés... era hora de tomar banho e quem sabe lembrar de quem enviou a carta...

Nenhum comentário: