Por que um baú?

Bem, quem acompanha minha tentativa de escrever algo que seja bom ao leitor,vai poder voltar aqui, abrir o baú e ler, pensare espero eu que comente nos textos afinal, esse baú é para guardar pensamentos.
Deixe aqui o seu também.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Porta.

Ela bateu a porta o mais forte que pode, sentou-se no chão com as costas segurando a porta enquanto ele andava de um lado para o outro no quarto, “va embora” foi sua ultima frase antes de trancar a porta... mas ele apenas arregalou os olhos e começou a andar de um lado para o outro...
No rosto dela, lagrimas corriam como rios revoltos, e o som nervoso dos passos dele atrás dela a faziam tremer e temer que as lagrimas nunca tivessem fim.
-VA EMBORA – Gritou ela mais uma vez, e dessa vez bateu com sua cabeça contra a porta.
- E porque eu devo ir?
A voz dele tinha um tom triste, um certo tom úmido de choro, mas aquele ainda preso nos muitos nós da garganta.
- VA EMBORA.... VA EMBORA – Repetiu duas vezes tentando convencer ela mesma de que era o melhor a ser feito.
-Ok eu vou se você me responder por que eu devo ir?
-Por que você não me entende... você não me ama.
Do outro lado da porta o som dos passos cessou e apenas o som de alguém escorregando as costas na porta pode ser ouvido, depois... como que dizendo ao pé do ouvido ele disse.
- Eu até iria embora, mas pra isso eu tenho que te falar que esta enganada... eu te amo, e eu não sei direito como e nem por que isso acontece mas eu suspeito... acho que é algo que você faz quando se move, ou arruma os cabelos e me atrai como nenhuma outra, sei la... é algo em você me agrada, eu não quero deixar você agora, e você sabe que é serio, e muito.
A voz dele estava carregada e pesada, a porta mesmo grossa não conseguia diminuir a força do que ele dizia e ela com o a nunca encostada na porta ouvia cada suspiro dele.
- Quando eu te digo o que sinto por você, mesmo de forma boba e você sorri, você sabe, bem la no fundo você sabe que eu não preciso de mais ninguém, e quando você me mostra que me ama... Droga... eu não quero te deixar nem agora nem nunca... você diz que eu não te amo e que não te entendo... eu não sei... simplesmente não sei, mas se você aceitar, se você ficar comigo isso pode mudar e você pode ver que te amo e te entendo mais do que imagina, e isso é verdade, muita verdade, Acredite em mim... Eu te amo, e não tem nada e nem ninguém que me façam mudar isso. Só você... somente você pode me afastar de você.
Essa frase pesou nos ouvidos dela...
- Eu cheguei agora em casa, e não sei o que aconteceu, brigamos por besteira, discutimos por tolices mas a única coisa que posso te dizer é que te amo, e acredite é muito, ontem te vendo dormir e sorrir, talvez o sonho fosse bom, talvez comigo não sei, eu tomei a decisão de fazer uma coisa, e embora o mundo seja maluco, você esta do lado certo da porta.
Ela abriu os olhos e prestou atenção no que e dizia.
- Eu não tinha onde guardar então escolhi um lugar bem inusitado, e acabei guardando ai dentro, na terceira gaveta de baixo pra cima, aquela que a gente nunca guarda nada por que é pequena, abre ela.
Antes de ele falar ela já estava abrindo se esforçando para não fazer muito barulho, e la dentro ela pode ver um envelope de papel pardo, bem gordo.
- Se a empregada não mexeu deve ter um envelope ai, abre ele.
Ela abriu e de dentro dela saltou uma pequena caixa forrada em camurça azul com detalhes dourados nas pontas.
- Eu ia fazer algo bonito, diferente disso, talvez um jantar em algum lugar importante pra gente, talvez, encher a casa de flores ou te mandar milhares de bilhetes... mas acho que não é como você faz o importante, o importante é a verdade nele... abre a caixa, por favor abre a caixa e me diz se aceita.
Ela abriu a caixa e la dentro duas alianças perfeitamente ajeitadas.
- A muito tempo eu venho pensando em te pedir em casamento, antes não podia, a gente estava sempre em desalinho com as possibilidades, a gente nunca se alinhou nas horas... mas se o destino quis te deixar ai dentro, e eu aqui fora, talvez essa seja a hora...talvez seja a hora certa de te dizer o que eu pensei em dizer antes...
Ela abriu a porta com os olhos vermelhos e ali os dois ajoelhados um de frente para o outro ela perguntou...
- E o que você queria me dizer?
- Que eu não sou melhor do que ninguém, eu tenho muitas falhas, muitos erros, e errei com você umas tantas vezes atrás, eu não vou te promete que nunca mais vou errar, por que não posso, eu sou humano, eu erro, e muitas vezes faço isso tentando acertar, e muitas vezes por que quero te ver bem, quero te ver sorrindo e feliz, mas as vezes te faço chorar como agora... Eu não posso te prometer uma vida de rainha, não posso te dar tudo que sei que merece, mas prometo que vou fazer de tudo pra te dar o melhor que puder, Eu não sou o cara mais bonito, não sou o mais forte, mas quero muito que ser seu marido... te amo e isso me faz querer ser melhor... ser o mais forte, e o mais bonito pra você.
Ela tentou falar algo mas ele tapou os lábios dela com dois dedos e disse
- Casa comigo? Eu sei que quero casar com você por que não vejo ninguém que seja pra mim metade do que você é, casa comigo, e eu prometo te pedir em casamento todo dia de manhã, e me casar com você todo dia a tarde, e viver com você uma lua de mel todo dia a noite... case comigo, e mesmo que pareça errado agora, mesmo que seja confuso em seu peito, entenda que eu te amo... e vou te amar mesmo que me diga de novo pra ir embora... e vou te amar e esperar sua resposta pra sempre... eu já te disse, posso te esperar pra sempre... só não demora muito.
Ela apoia a cabeça nos ombros dele e com os olhos vermelhos e molhados o olha uma vez mais antes de selar seus lábios com um beijo longo e apaixonado.

Nenhum comentário: