Por que um baú?

Bem, quem acompanha minha tentativa de escrever algo que seja bom ao leitor,vai poder voltar aqui, abrir o baú e ler, pensare espero eu que comente nos textos afinal, esse baú é para guardar pensamentos.
Deixe aqui o seu também.

sexta-feira, 30 de março de 2012

Tarde da noite... um simples.... não é...

Algumas vezes na vida a gente se prende a fiapos, como velhos elefantes que por sua juventude foram amarrados e mantidos ali em cativeiro por longos anos impedidos de serem livres... algumas vezes somos assim, amarrados a esses fiapos de idéias, sonhos...

Pode doer, pode ser uma dor forte largar um sonho, largar uma paixão, largar um amor, mas a gente só sabe que é amor de verdade quando a gente acorda e olhando para o fato de estarmos sozinhos, de estarmos sem quem queríamos ter ou quem gostaríamos de ser, mas mesmo assim mesmo mesmo sem ter a gente percebe que prefere ver quem amamos e sonhávamos ter ao lado feliz, pode soar altruísta e falso mas é a verdade.

Assim como quem tira um espinho do Pé ou uma farpa das dobras da mão.
É triste, admito que perdi um tanto do que acreditava, perdi uma boa parte de mim de meus sonhos, de meus desejos... em fim... perdi a minha parte boa... perdi a crença nas pessoas, e no amor...

Rasguei a pele, puxei os espinhos... rompi as cordas...
Não sou um elefante... sou apenas um humano... um misero humano que erra... tropeça... e chora...
Em fim...

Acabou... foi bom... mesmo quando era ruim... hoje... simplesmente... não é...

quinta-feira, 22 de março de 2012

Coincidências...

O bar vazio era incomum para aquele dia, e aquela hora certamente o velho balcão estaria apunhado de gente pedindo cervejas e bebidas, mas hoje estranhamente o bar tinha poucas pessoas sentadas a mesa, e o jovem senhor dono do bar lavava os copos pensado no tempo que parecia se arrastar.
Um outro senhor entrou e sentou-se no banco ao balão e pediu uma bebida e antes de ser servido lançou-se a falar sobre a vida e as coisas estranhas dela, o barman serviu já pensando que seria mais um daqueles chatos bêbados que vivem atrapalhando os bares do centro.
- A vida tem um jeito estranho de te dar o que você pede... sabia?
Acenando positivamente para ele o barman queria apenas que o tempo passasse e ele fosse embora logo.
-É serio... Passei os últimos 20 anos da minha vida tentando esquecer uma pessoa mas ela nunca saiu da minha cabeça... nunca... Outra bebida por favor.
-E por que o senhor não vai atrás dela? – disse ele servindo a bebida enquanto o senhor estava de cabeça baixa, e assim que disse o viu levantar o rosto com os olhos vermelhos e regando a barba de seu rosto com lagrimas.
- Por que não posso.
- Desculpe.. ela faleceu?
-Diabos... não... ela esta bem viva... e pelo que sei tem 3 filhos, dois meninos e uma menina linda... linda como ela.
- A o senhor ainda a vê?
-Não prestou atenção no que falei não é? Eu não a vejo a 20 anos.
-E como sabe de tudo isso?
-Eu sempre tive uma facilidade de entender e de me lembrar das coisas, dos gestos dos modos das pessoas, por exemplo você lava os copos da mesma forma que lavava a 15 anos atrás, sempre no sentido horário, depois dobra a toalha 2 vezes e apoia na mesa sempre da mesma forma, mas faz isso só quando esta chateado, de certo.
-Sim é bem isso mesmo..
- Eu sei... bem como dizia, Meu filho me ligou hoje e disse que iria me apresentar a sua namorada, Ele é meu filho único, menino estudioso, quando era mais novo eu pensava que ele seria um físico ou químico mas ele decidiu virar Advogado, um dos bons, ele me disse que ela é a mulher dos sonhos dele...
-E me desculpe mas o que isso tem haver com a história?
- tudo tem ligação meu velho, tudo, ele me ligou e eu disse que sim, claro, que faria um jantar especial pra isso, faria um prato que ela nunca esqueceria, sabe como é mulher dos sonhos a gente conquista com sentidos, olfato, tato e paladar.
“ o Barman sorriu, lembrou-se de um jovem que a tempos sentou-se ali naquele mesmo banco e disse a mesma frase”
- Bem, o jantar já estava pronto quando a campainha tocou, dois toques curtos, típico do meu filho, por isso abri a porta sem nem olhar pelo olho mágico, e lá estava ELA... como se tivesse voltado no tempo eu vi ELA ali vestindo seu vestido florido, com os óculos no rosto, o mesmo sorriso... se não fosse meu filho me chamando a realidade eu acho que estaria lá ainda olhando ELA, Outra bebida por favor.
O barman serviu enquanto ouvia a história do velho.
- Eu disfarcei fazendo um elogio a ela mas sempre que ela fazia algo, arrumava o cabelo ou tomava a taça de vinho nas mãos eu via ELA fazendo as mesmas coisas, a conversa correu durante todo o jantar, ela me fazendo perguntas sobre meu filho, sendo simpática e eu me deleitando com o fato de ter ali na minha Retina a imagem DELA, no fim comecei a perguntar da vida dela, e ai meu velho... ai vem a coincidência... Ela era filha DELA...
- Agora entendi como o senhor sabe sobre ela.
- Pois é... A tempos eu pedia a Deus para que ELA entrasse em minha vida, que voltasse a ela, que a gente formasse uma Família... E a vida me deu isso... de uma maneira diferente... mas deu.
- O mundo é muito pequeno...
-O mundo é gigantesco, meu velho, é gigante mas alguns destinos se enroscam por ai e sempre se encontram, ela me mostrou uma foto DELA, eu me controlei para não dizer que a conhecia, mas posso te dizer... que ELA não mudou nada... continua linda como sempre...
-E por que não fala com ela?
- Por que tudo que é bom dura pouco... e as vezes o presente não é nem sombra do que foi a muito tempo... e como ouvi a tempos... a nossa história ficou lá atrás... não tem volta... foi bom... mas FOI...
- Entendi... é isso é muito ruim.
- É principalmente que para ELA foi... e para mim sempre É....
No fim da noite, ou inicio da manhã o velho dono do bar volta pra casa e encontra deitada seu esposa que sorrindo o olha nos olhos e diz.
- Nossa filha conheceu o sogro dela hoje... parece que ele é um homem muito simpático.

O velho dono do bar apenas sorri... a vida é repleta de coincidências.

sexta-feira, 9 de março de 2012

Frio

Enquanto ele arrumava sua casa, limpava seus pertences ouvindo “Jeane” The Smiths, tentava não pensar em nada, apenas fazer seus trabalhos de casa, limpar, arrumar e por fim deitar-se no sofá e esperar o fim de semana terminar o quanto antes.

Ela do outro lado da cidade, penteava seus cabelos preparando-se para sair, logo pela manhã de um sábado já estava cansada, sabia que seu fim de semana seria corrido e cheio de coisas a fazer, olhou no reflexo no espelho e de súbito lembrou-se dele. E como não lembrar, mesmo não estando presente em seus dias a tempos era presente naquele cômodo como se tivesse vivido ali com ela por anos, No radio, “Back to the old house” já começava seu segundo verso quando ela pegou o telefone.
Ele arrumava seus dvds na prateleira quando o telefone tocou no quarto, o pano no ombro e o dvd “500 dias com ela” nas mãos .
- Alô.
-Oi. ... tudo bem?
- ... Oi... sim e você?
- To bem... e sua família?
- Estão melhor, na medida do possível melhor, e a sua?
- Bem.
-Que bom.
-... Acho que não devia ter ligado né?
- Esta arrependida de ter feito isso?
- Não... mas parece que não te fiz bem.
-Por que diz isso?
-Sua voz... as “vaciladas” que esta tendo na voz.
-... Entendo... eu sou assim você sabe... não consigo esconder nada.
-... Eu sei... só não queria te fazer mal.
-Você não fez... só não estava preparado.
-Preparado?
-Sim... Receber seu telefonema, ouvir sua voz... em fim... você sabe.
- É que senti saudades suas, as vezes penso em você pela manhã quando vou ao trabalho, as vezes você ainda me faz companhia.
-É bom saber disso, afinal... você sabe que também sinto sua falta.
-... Mas e a vida como anda? Casou?
-Não... tive um ou outro romance mas não me envolvi o suficiente para pedir em casamento, e você?
-Não quero falar disso.
-E por que perguntou?
-... Não sei...
-...
-A gente se dava bem né? Era bom... um amor bom... um conto de fadas.
-Não, era bem diferente.
-Como assim?
-Contos de fadas tem finais felizes.
-Sim ...
- E Amor de verdade não tem fim...

O tempo passou, e um silencio existiu na linha por algum tempo, por fim, ela terminou de se arrumar e ele de arrumar sua casa... e o fim de semana passou lentamente.

quinta-feira, 8 de março de 2012

Dia da mulher...

Ok, temos que dar o braço a torcer, o que seria de nós homens, sem as mulheres? certamente estaríamos ainda grunindo e chacoalhando nossos troncos de um galho a outro em busca de alimentos, viveríamos ainda apoiando as mãos no chão sem nos preocupar em criar nada, em produzir nada... em conquistar nada.

O que seria dos homens sem as mulheres, certamente não teríamos descoberto o fogo para aquecer no frio, e preparar alimentos mais energéticos, não teríamos descoberto a forja, metais ainda estariam em forma de pedra nas montanhas, não teríamos desenvolvido as moradias, as construções, não teríamos desenvolvido carros, aviões.... deus como pude esquecer se não fossem as mulheres não teríamos criado os tecidos, as roupas os sapatos... Se não fosse as mulheres a gente não iria disputar a atenção de ninguém, não teríamos que conquistar ninguém. e logo todas as descobertas, invenções e soluções não seriam necessárias... em fim... Se não fossem as mulheres os homens não teriam motivação para nada....

Feliz dia das mulheres as mulheres que MOTIVAM os homens a fazer algo, nem que seja acordar cedo e sair de casa por não aguentar mais aquela MULHER no pé da gente :)

Brincadeiras a parte. Feliz da das mulheres, a todas. e espero que mesmo sendo ironia no texto vocês entendam a importância da MULHER.
Feliz dia da Mulher.

quarta-feira, 7 de março de 2012

Pensamentos

"Quando alguém não diz a verdade por medo de consequências não é prudencia,
É omissão, e assim o mundo ganha mais mentiras complacentes" - Weverson Garcia

"Não é por que alguém não espera de mim uma verdade que eu vou me calar com mentiras" - Weverson Garcia

"Não sou dono da verdade... afinal de contas sempre que pode ela escapa por minha garganta" - Weverson Garcia.

"Eu nunca pensei que certas coisas mudassem, talvez o amor seja como fogo mesmo, pode mudar de estado todo o resto, mas se apaga com um balde de descaso" - Weverson Garcia.

"Andar em círculos não é esta perdido... é ser tolo, fazer sempre as mesmas escolhas esperando que algo mude, a vida não é um teste cientifico" - Weverson Garcia.

"Se eu amei? Eu amo... mesmo que seja apenas verdade pra mim e absurdo para o resto" Weverson Garcia.

quinta-feira, 1 de março de 2012

Sem importância

-Porque você vai? – Perguntou ela escondendo o desapontamento.
-Porque pergunta? Quer que eu fique? – disse ele arrumando a mochila.
-... Você faz o que quiser.
-Sim, eu faço o que quero, sempre fiz, desde o inicio, Mas porque a pergunta!?
- ... Sei lá, só quero saber, esquece não importa.
- É eu sei que não importa, nunca importa, e por isso eu estou indo, por que nunca importa o que eu faço ou fiz, Nunca importou nada.
- Não foi isso que eu quis dizer – Disse abaixando a cabeça e percebendo que ele tinha razão, ela pouco ou nunca demonstrou se importar com o que ele fazia. – O que você queria que eu fizesse? Saltasse em cima de você sempre que recebesse algum recado seu? Que desse uma festa a casa vez que fazia algo pra mim?
- Não, eu queria que fosse importante para você como era importante pra mim fazer as coisas para você.
-Eu pensei que fazia sem esperar nada em troca.
-Eu fazia por vontade, mas o mínimo era ter um pouco mais te importância pra ti as coisas que fazia, até as coisa que você não percebe de cara... acho que você nunca parou para reparar nisso.
-... ? Não entendi?
- Sempre fiz um mundo de coisas por você, e deixei de fazer umas outras tantas pelo mesmo motivo, você nunca me pediu nada, nunca, mas se parasse para pensar em certas coisas ia entender melhor o meu lado, e talvez eu não estivesse indo embora agora.
- ... Me explica então, pois ainda não entendi.
-Quando a gente se afastou a tempos atrás, eu te disse que nunca te esqueceria, que nunca iria deixar de ser quem era pra mim, isso é fácil, mas eu sempre estive presente pra você, e por todo o tempo que foi viver sua vida, que buscou seus sonhos eu me mantive quieto, no meu canto, tá certo nem tão quieto, mas fiquei ali, sempre, foi escolha minha de fato, mas pensa... com a ausência você continua gostando? Ninguém faz isso eu fiz.
- Mas fez por que quis, eu não te pedi nada.
- Pois é... por que para você não tinha importância se eu estava ou não do teu lado, não fazia diferença se eu gostava ou não de você.
- MAS QUEM DISSE QUE NÃO IMPORTAVA?
-Ninguém disse o contrario.
-... Se não importasse eu deixaria de falar com você, eu já tinha te dito isso...
-E esses últimos meses tem sido como?
-...
-Chego em casa, e se você ainda não chegou eu preparo tudo pra você, e quando você chega... age como robô, mecanicamente come, mecanicamente fala comigo e dorme... e quando ou se me beija, eu quase sinto o gosto do metal robótico de seus beijos.
-... É tão ruim assim estar comigo?
-... Se eu estivesse com você não seria ruim, mas você nunca esta comigo.
-... – Ela não tinha o que falar, a tempos sua cabeça se encontrava em outro momento, outro estado.
- ... E não é ruim te ver, e estar perto de você mas... Você nem isso mais faz... acho que é melhor eu ir, e se um dia , SE um dia você sentir falta de meu jeito, bobo, adolescente, romântico, e tudo mais que já disse de mim sabe onde me encontrar... quer dizer tem como me encontrar... eu não sei se vou ficar no mesmo lugar sempre... eu já fiz muito isso... já esperei muito... já sonhei muito... já me importei muito com alguém que me tinha sempre como mais um... apenas mais um qualquer.
-...
Ele fecha a mochila, caminha até a porta, coloca no aparado as chaves e olhando nos olhos dela diz
- Pode se desfazer de tudo que eu deixei aqui ou te dei se quiser... Talvez não tenha importância para você... Pode jogar fora cada carta... cada traço... cada presente.
- e por que faria isso?
-Não sei... talvez eles tenham importância mas quem deu não..
Fechou a porta e colocou-se a caminhar, a mochila pesada pouco incomodava... o rosto que logo encontrava-se encharcado é que o assustava e o entristecia profundamente, para ele tudo sempre era importante... tudo.