Por que um baú?

Bem, quem acompanha minha tentativa de escrever algo que seja bom ao leitor,vai poder voltar aqui, abrir o baú e ler, pensare espero eu que comente nos textos afinal, esse baú é para guardar pensamentos.
Deixe aqui o seu também.

terça-feira, 26 de junho de 2012

Pensando sobre mim mesmo.


Diferente dos outros textos esse é bem auto biográfico.
Esses dias eu estava olhando para mim, como quem olha um estranho, um dos raros momentos em que a gente consegue sair de nossa percepção limitada, comecei a lembrar de tudo que passei, das pessoas que conheci de quem ainda mantenho comigo de que deixei sair, de quem afastei  sem querer e de quem afastei por vontade.
Eu olho para trás e vejo meu caminho todo, e sabe o que é mais estranho!? Mesmo tendo escolhido o caminho mais cheio de dificuldades mais complicado, mesmo tendo feito as piores escolhas e cometido muitos erros eu mudaria pouca coisa, talvez evitasse uma grande pedra para ter mais energia na seguinte sei la... mas não faria outro caminho, acho que a vista que tive de onde andei foi a melhor que pude escolher.
Sim foi um longo caminho sozinho, e ainda é sozinho,  mas isso não importa, ou importa!? Se eu sinto falta é por que é importante certo? A gente sente falta do que precisa mesmo que negue pra gente mesmo... e isso serve pra tudo.
Tive poucos  romance na vida, e com essa metáfora de caminho eu os comparo a rios riachos, o primeiro foi uma nascente, por ver pequenas partes a gente pensa que vai ser suave e fraco, mas no fim percebe que é traiçoeiro e violento... e foi mesmo... quando menos esperei o rio desapareceu e foi se meter por debaixo da terra onde eu não gostaria de ir nem em pesadelos...

o segundo foi mais tranquilo, como um rio congelado, eu tinha que pisar com cuidado mas não estava muito feliz com o gelo nó pé ... e ainda tinha medo acumulado do rio anterior... acabei seguindo meu caminho antes de ver ele derreter... foi até bom... o rio seguiu o caminho dele e pelo que sei esta bem...

O terceiro ficou um tempo, foi um bom rio, as veze o encontro e tenho meus momentos de lavar os pés... sabe!? Descarregar as culpas da vida sem ser julgado... em fim virou um rio amigo...

O meu quarto e ultimo rio, o que me marcou mais, é um rio de planícies elevadas, era calmo, mas vinha já de uma longa história, já tinha descido tantos caminhos pelas encostas que agora mesmo sendo largo e raso era assustado, e eu tentei represar esse rio, poderia ter ficado a margem dele quando ele começou a correr forte para outro lado mas eu queria ter o rio... represei , mas ele estourou a represa e mudou o curso... agora eu não tenho nem onde lavar as mãos... e sinto falta do som do rio... sinto mesmo.
Eu escolhi meu caminho, errei com algumas coisas repeti erros algumas vezes... mas no fim eu posso dizer que foi o melhor que pude fazer... hoje olhando por sobre os ombros, e vendo que ainda tenho muito caminho pela frente eu só me arrependo de não ter escolhido manter um pouco do rio no cantil... onde pudesse beber de vez em quando, eu vejo ao longe o rio seguindo o caminho dele, fazendo  um laguinho la no fim... espero que ele seja um ruidoso rio feliz...

Eu tenho que continuar subindo... tentando achar um outro rio pra seguir ou ser acompanhado... quem sabe encontre quem sabe não... eu sei o que devo fazer e melhor ainda... sei o que não devo fazer...

Eu não devo esperar do rio nada além de sua passagem... o rio passa... tudo passa...
O que fica são as marcas e lembranças.


4 comentários:

Anônimo disse...

Amigo, a vidraçaria Mundividros fechou? Tem alguma informação? Responda-me por e-mail por favor: "cafesote@gmail.com". Fiz um orçamento e pagamento lá e você realmente me preocupou.

Brubs disse...

quem Diabos é vc!?

Anônimo disse...

Veja:

https://plus.google.com/116358420563490849765/about?hl=pt-BR

Brubs disse...

A minha pegunta é quem é vc.. que a vidraçaria não ta mais la eu sei..]