Por que um baú?

Bem, quem acompanha minha tentativa de escrever algo que seja bom ao leitor,vai poder voltar aqui, abrir o baú e ler, pensare espero eu que comente nos textos afinal, esse baú é para guardar pensamentos.
Deixe aqui o seu também.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

aberto ou fechado.

História, cada um tem a sua, cada um vive uma vida diferente, mas as linhas da nossa vida entrelaça com a de alguém, as vezes essas linhas se juntam e forma um único fio, outras vezes uma linha mais forte roça a nossa linha e acaba Puindo tornando cada vez mais fraca e a gente se pergunta até quando vamos nos sentir assim.
Não temos a certeza de saber quando ou se isso vai acabar, mas temos que aprender aperceber algumas coisas.
Quando a vida se repete, quando inúmeras vezes você passa por uma situação que parece familiar, quando olha para trás e vê sempre os mesmos passos, quando pensa que andou tanto mas continua no mesmo lugar, as vezes a gente pensa que se ficar calado mudo e sem fazer nada a gente acaba achando um caminho, mas ai fazemos as nossas escolhas e acabamos voltando ao mesmo lugar... por que?
Eu tenho uma crença, acredito em algumas coisas entre elas que todos temos um destino, um destino não muito fechado, mas um destino com áreas que somos capazes de escolher o que fazer da nossa vida, e outras áreas que não tomamos escolhas, elas aparecem e a gente acha que escolheu, mas na verdade já estava programado, assim a gente é guiado até um determinado momento onde devemos usar as experiências que tivemos nas áreas em que fomos guiados para escolher o nosso caminho.
Quando a gente faz escolhas erradas a vida nos guia de novo ao ponto inicial onde a gente começou a fazer as escolhas, mas veste elas de formas diferentes mas coma mesma intenção e sentido... ai a gente percebe que esta vivendo tudo de novo, e de novo e de novo até fazer uma escolha diferente da que costumamos fazer sempre.
Eu as vezes me vejo assim, tenho vivido umas coisas que se repetem tantas vezes que eu nem sei como ainda não tinha percebido isso, tenho sempre tido a escolha de ficar e lutar ou recuar e tentar outro caminho, eu percebi que sempre fui mais para a segunda opção sempre recuei e procurei outro caminho quando a vida me batia uma porta na cara, mas as vezes é preciso bater na porta, socar a porta as vezes é melhor apenas ficar ali na frente cantarolando algo para que possa ser notado. Assim a vida pode ser diferente.
Eu não acreditava em destino, acreditava que tudo era acaso, que a gente guiava nossa vida,que as escolhas eram nosso livre arbítrio, mas como explicar um telefonema do nada na hora que se pensa tanta besteira, um telefonema que te coloca pra cima que te faz perceber que nada é tão ruim assim? Como explicar um encontro no metro com alguém que você nunca viu e que meses depois se torna sua esposa? Como explicar o dia que tu não quer sair de casa se, acaba saindo por que nada te prende a TV ou filme e na rua conhece uma pessoa especial?
Como explicar conhecer alguém no mais improvável momento de sua vida e acabar sentindo que essa pessoa tem algo que falta em você?
Romantismo, vão dizer, ele é romântico, não eu não posso negar que sou romântico mesmo que acredito em romance e amor, e acreditava mais no passado, mas recentemente tenho voltado a crer nisso, e me questionar se o romance e o destino não podem andar de mãos dadas?
As vezes sim, mas sempre vejo as pessoas dizerem “eu sou super feliz no meu trabalho, mas na minha vida pessoal eu sou um desastre, nada parece andar” ou o contrario, gente que ama tão bem e da a sorte de encontrar alguém especial logo de cara na primeira vez, mas no trabalho não anda...
E por que isso? Voltemos ao meu exemplo de escolhas, quando a gente encontrou o trabalho perfeito, recebemos tudo que queremos financeiramente estamos bem ali, profissionalmente acabamos nos privando de pequenos momentos abertos de escolhas por que a segurança dos momentos guiados nos impede de ter coragem de soltar a margem do rio e nadar por nossas própria vontade.
Quando estamos bem no amor, nos sentimos seguros ali também e não seguimos nosso caminho profissional, cuidamos mais de outros que esquecemos a gente, e ai acabamos nos deixando guiar novamente nos momentos sem escolhas e não tomamos a iniciativa de buscar o que nos falta.
Então o que aprendi sobre o destino até os dias de hoje é que ele pode existir sim, pode coexistir com livre arbítrio, cabe a nós, eu você o cara sentado a seu lado no ônibus, a mulher que entrou no elevador, a pessoa do outro lado do bar, a menina que dança a sua frente, cabe a cada uma dessas pessoas escolher se vale a pena quebrar a corrente fraca do medo, das duvidas das insegurança e seguir em frente? Em buscar algo que falta?
Por que nem sempre a gente sente que falta!.. verdade. Nem sempre a gente percebe a falta nem sempre a gente entende o que os nossos sentimentos e sentidos querem dizer, as vezes temos medo mas... não é isso que todo mundo sente antes de fazer uma escolha que pode mudar a vida?
Eu tenho medo, assumo, mas hoje tomei a decisão de ficar aqui, de continuar a lutar por algo que eu quero muito ao invés de deixar passar e me atirar a uma oportunidade que não é nem sobra do que eu realmente quero.
Por mais que isso possa demorar... fico aqui... na porta tocando meu violino, cantando minhas musicas, lendo e escrevendo meus poemas e textos... quem sabe assim a porta se abre e quem sabe assim posso seguir um caminho bom com alguém disposto a viver também.

Nenhum comentário: