Por que um baú?

Bem, quem acompanha minha tentativa de escrever algo que seja bom ao leitor,vai poder voltar aqui, abrir o baú e ler, pensare espero eu que comente nos textos afinal, esse baú é para guardar pensamentos.
Deixe aqui o seu também.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Ecos

Entrou em casa já tirando os sapatos, o dia puxado de trabalho, as longas horas de pé sobre o salto não estavam fazendo bem a ela. Mas o perfume doce de “sua casa” já a fazia sentir-se mais calma e feliz, fecho a porta atrás dela e coloco sobre o aparador seu telefone e as chaves do carro.
A correspondência que foi posta por baixo da porta agora em suas mãos, as contas, as propagandas tudo dentro da normalidade... mas... aquele envelope ... e o remetente... a fizeram tremer.... era dele... uma carta dele...
Um pouco mais pesado que uma carta comum, alguma coisa ali... alguma coisa ali dentro dava uma prévia do peso das linhas... ela sentou-se na poltrona, ligou a luminária e começou a ler...
Linha por linha, as vezes 3 vezes a mesma linha para ter certeza que entendera



Minha Doce Pequena....

Não muito distante das realidades da vida, eu me peguei pensando se deveria ou não te escrever tal carta, e mesmo não sabendo se devia ela foi escrita... Certamente estas primeiras linhas são as mais complicadas, não sei como e nem se devo dizer algo para apaziguar as tantas magoas que ambos temos, mas... são tantos anos... e eu não queria dizer apenas um “me perdoe” .
As palavras as vezes se perdem, perdem o sentido quando saem do peito para o papel, as vezes, para não dizer sempre, elas ficam sem força, mas tentei ao Maximo transcrever o que vem aqui de dentro... bem fundo.
A anos quando partiu para viver seus sonho eu sorri para ti, e disse que seria sempre assim, que seus sonhos estariam sempre a frente de sua vida, sempre te motivando a algo, e que deveria mesmo seguir essas suas vontades... O que não disse com palavras é que Seus sonhos impediam e tornavam impossíveis eu realizar os meus... e bloqueavam sem duvida os nossos sonhos...
Hoje tantos anos depois, tantas angustias passadas e superadas, hoje depois de ter realizado tantos de meus sonhos e torcendo para que o mesmo tenha ocorrido com você eu me pego pensando se ainda existira tempo para sonharmos os nosso sonhos juntos?
Mas não... sei que não... é apenas um pensamento bobo eu sei, Ai onde esta a milhas e milhas de distancia desse rapaz que se sente tão velho por dentro você deve com certeza ter até esquecido de mim, e ao receber essa carta deve ter se perguntado ... “será que é ELE...ELE MESM?” bem... sou...
E o que posso acrescentar a essas linhas é que Nem mesmo esse oceano, nem mesmo essa eternidade que estão nos separando eu deixei de pensar em ti... toda noite, toda manhã... toda vez que aquela nossa musica tocava eu lembro de ti... e mesmo que seja apenas um eu sonhava as coisas que poderíamos sonhar juntos...
A casa, as viagens... a vida...
Então assim distante, e impedido de te dizer isso como sempre gostei de ter nossas conversas, eu te transcrevo a ultima frase que escuto de meu peito antes de dormir... e a primeira ao acordar....
“Não adianta, todo mundo pode dizer que o tempo apaga tudo, que cura tudo... mas esse tempo só esta servindo para mostrar que é impossível viver sem ela... você a ama... aceite isso”

Beijos de quem ainda mantém seus olhos brilhantes na memória
.”

Ela dobra a carta e olhando para o telefone se pergunta se devia ou não ligar...
Ele em um lugar qualquer alheio a esse pensamento olha para seu telefone e pensa...
Seria bom se ela ligasse ....
Mas a noite passa e ele só escuta seu peito gritar...
Não adianta, todo mundo pode dizer que o tempo apaga tudo, que cura tudo... mas esse tempo só esta servindo para mostrar que é impossível viver sem ela... você a ama... aceite isso..
E os ecos desses gritos chegam aos ouvidos do peito dela...ao menos assim eu suponho...

Nenhum comentário: