Por que um baú?

Bem, quem acompanha minha tentativa de escrever algo que seja bom ao leitor,vai poder voltar aqui, abrir o baú e ler, pensare espero eu que comente nos textos afinal, esse baú é para guardar pensamentos.
Deixe aqui o seu também.

domingo, 24 de julho de 2011

"Era uma vez - o bosque"

O Despertar

Martinha piscou uma, duas três vezes antes de finalmente abrir os olhos, o céu sobre o dossel de folhas parecia diferente, um pouco mais escuro... não... não poderia ser.. era um céu de quase fim de tarde... olhou em seu pulso e sim... já se passavam das 3h. sentou-se apresada no galho torto e recolhendo a mochila e suas coisas colocou-se logo a gritar por Chatran. A floresta atrás dela parecia já escurecer e os brilhantes tons de verde agora pareciam escuras manchas de musgo.
- Chatran seu gato arteiro, onde esta?
- Hummm acordou, veja só pensei que fosse dormir a tarde toda
- ... Quem... quem .... quem esta ai!? – Perguntou ela tremendo e temendo o tom de voz ouvido
- Hora bolas de lã... “Quem esta aí?” como assim quem esta ai!? Eu Lord Chartran seu companheiro e amigo ora bolas de pelo.
-... Pai é o senhor!???
-Pai!!!? Menina olhe para cá, no galho
Ela virou-se e olhando para o galho largo sobre sua cabeça viu o pequeno felino lambendo-se
- Ora ora chatran, acho que estou ficando um tanto louca, jurava ter ouvido, e até respondido, uma voz.. venha vamos para casa antes que a mamãe me proíba de sair de casa para sempre.
- Vamos sim, os esquilos já não tem mais graça, e eu realmente preciso de minha cama... o que foi? Por que esses olhos esbugalhados!? Hummm?
-VOCÊ... VOCÊ.... FALA!?
-Sim, sim e você também... opa.... quer dizer que me entende!?
- Ora gato... isso é uma brincadeira de alguém? Algum ventriloco? Vamos saia de onde estiver
O gato saltou no chão e sentou-se olhando fixamente os olhos de sua ruiva companheira e disse
- Estranho... nunca ouvi falar de um humano que entendesse a língua dos gatos... onde estão os esquilos quando se precisa deles...hummmm!?
- Pera... é você mesmo que esta falando!! Nossa... – disse ele sentando-se na grama baixa. – isso não faz sentido algum... como antes não falava e agora fala?
- “como antes não me entendia e agora entende” seria o certo né? Falar eu sempre falei, porem você não me entendia... mas agora... o que mudou!? Por que me entende?
- Chatran. Não sei, sei apenas que devemos ir para casa o mais rápido possível, esse bosque ou esta afetando minha razão ou eu já era maluca e não sabia... vamos.
E dizendo isso levantou-se e voltou correndo o caminho que conseguia se lembrar, por sorte Chatran, o gato, com seu instinto sabia bem o caminho de casa e logo estavam eles rompendo o jardim dos fundo, sua mãe de pé recolhendo roupa já a olhou enfezada e disse
- Já para os eu quarto mocinha, e nada de lanches ou joguinhos hoje... castigo por 2 semanas...
- Mas mãe... eu dormir e agora.. eu...
- não conte a ela!!! – disse o Chatran. – Ela não vai acreditar...
-Eu o que menina? Agora eu o que?
- Agora eu acordei e vim correndo pra casa... sabe mãe o bosque é tão fresco que acabei cochilando vendo as nuvens... e nem peguei grilo ou abelha...
-E vai continuar assim por 2 semanas NO mínimo...ja para o banho e quarto.
Logo Martha estava subindo os degraus para seu quarto pensando no que poderia ter acontecido, sua mãe de certo não entendeu o que o seu gato disse tanto que ignorou, ela não estava bem, sentia o mundo girar em sua barriga, e assim que entrou no banheiro e na banheira quis bem forte acreditar que ela ainda estava no tronco da arvore sonhando com tudo isso e que logo acordaria e ainda seria a manhã de Sábado que era antes.

- Isso só pode ser um pesadelo só pode ser pesadelo...

Nenhum comentário: